Guilherme Arantes

Estrela-Mãe

Guilherme Arantes

A Desordem dos Templários


Sei quanto erei com você
Só trazendo mais preocupação
Quando eu não fui feliz
Tanta coisa impensada que eu
Fiz questão de negar
Todos sonhos seus comigo eu quis
Me afastar ao buscar
Meu caminho tão diferente
E só me ceguei ao esquecer do olhar
Pelo prisma dos seus sentimento
Mas os jovens lutam com tanto tormento
Que até mesmo um deus se sente abandonado
E o dia urge ao seu redor
Em vão
Quando acorda a hora anoiteceu
Vem pedir perdão
Eu peço apenas o seu silêncio
Seu ouvido pra escutar meu canto
Sua mão secar meu pranto
Nosso amor é sagrado e vai acender no céu
A estrela-mãe
Vem que hoje eu quero te abraçar

Você doou seu melhor néctar na vida
Sempre cuidou pra esse amor jamais faltar

Você doou seu melhor néctar, na vida
Sempre cuidou pra esse amor jamais faltar
Ouve que eu te amo
Ouve que eu te amo

Quem como eu teve a sorte de nascer
De um exemplo lindo de mulher
Sempre a frente do seu tempo

Quem como eu teve a sorte de nascer
De um exemplo lindo de mulher
Sempre a frente do seu tempo

Quem como eu teve a sorte de te ter
Ouve que eu te amo
Ouve que eu te amo

Letra enviada por

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta música

Ouça estações relacionadas a Guilherme Arantes no Vagalume.FM

ÚLTIMAS

ESTAÇÕES

ARTISTAS RELACIONADOS