Página inicial > Rap > G > Gregory > Origens

Origens

Gregory


Minha origem é aquela, que um tal de mandela
Foi preso lutando no fundo da cela
Sob à luz de vela, foi me alimentando
Alguns anos depois que eu li
Deixei fluir o orgulho que eu sinto da raça
Do povo
O orgulho que eu sinto de mim transborda aqui
Mas o destino não atira no escuro
Baby eu te juro não é conversa
Nosso caso no passado seria motivo de morte
Motivo de guerra
E hoje a terra com wifi, digital e o raio que
O parta
Formamos um casal que na madrugada polícia
Enquadra
Te puxa de canto e te pergunta "qual é do
Neguinho, tá te assaltando? "
Você diz assustada que não, enquanto me vê
No chão apanhando
No motel um balde de gelo, alivia o inchaço
E a dor
Depois te pego, rasgo sua roupa, aniquilo
Meu ódio fazendo amor

(refrão)
Você tem que entender, pegar na minha mão
Me apresentar pros seus pais e dizer
"tô com esse negão, tô amando demais"
Que tá feliz, eu também, como nunca estive
Nosso amor não pode ser um crime
Mesmo que o mundo inteiro conspire

A neblina intensa e eu sereno se fundindo
Deus tá vendo
Mas não deixa se quer eu ousar perceber
Que você tá me escondendo
Que solte da minha mão, não
Quando eu mais precisar então
Que a nossa diferença esteja na cabeça
Apenas do ser sem noção
Do que me encara na porta do shopping
Do garçom que não atende a mesa
Das que te chamam de paty esnobe
Daquele olhar que nos rejeita
Quanta besteira... será que eles sabem
O que eu carrego aqui?
Sangue entre as veias, dedos e ossos
Exatamente igual tu carrega aí

(refrão)
Você tem que entender, pegar na minha mão
Me apresentar pros seus pais e dizer
"tô com esse negão, tô amando demais"
Que tá feliz, eu também, como nunca estive
Nosso amor não pode ser um crime
Mesmo que o mundo inteiro conspire

É um tabuleiro de xadrez onde a rainha troca
De rei
Deixa seu pulso, zona de conforto
E vai atrás do que lhe faz bem
Por mais que a família faça piadas no almoço
De domingo
Ela abaixa os seus quatros dedos, levanta
O do meio
E me busca sorrindo
E eu luto por isso, é um "viva", viva a
Rebeldia
Nossa mistura é um tom que da vida
Vida aos nossos dias
Seu preto te espera, enfrenta a guerra
Já pulei janela e sai escondido
Agora já era
Avisa tua velha que esse preto aqui é teu
Futuro marido

(refrão)
Você tem que entender, pegar na minha mão
Me apresentar pros seus pais e dizer
"tô com esse negão, tô amando demais"
Que tá feliz, eu também, como nunca estive
Nosso amor não pode ser um crime
Mesmo que o mundo inteiro conspire

Letra enviada por Ricardo Donato

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta música

Ouça estações relacionadas a Gregory no Vagalume.FM

ÚLTIMAS

MIX DE MÚSICAS