• Vagalume
  • A-Z
  • Estilos
  • Top 100
  • Playlists
  • Rádio
  • Hot Spots
  • Notícias
  • Play
    PLAY

    O filme quis dizer: "Eu sou o samba"
    A voz do morro rasgou a tela do cinema
    E começaram a se configurar
    Visões das coisas grandes e pequenas
    Que nos formaram e estão a nos formar
    Todas e muitas: Deus e o Diabo
    Vidas Secas, Os Fuzis
    Os Cafajestes, O Padre e a Moça, A Grande Feira,
    O Desafio
    Outras conversas, outras conversas
    Sobre os jeitos do Brasil
    Outras conversas sobre os jeitos do Brasil

    A bossa-nova passou na prova
    Nos salvou na dimensão da eternidade
    Porém, aqui embaixo "a vida"
    Mera "metade de nada"
    Nem morria nem enfrentava o problema
    Pedia soluções e explicações
    E foi por isso que as imagens do país desse cinema
    Entraram nas palavras das canções
    Entraram nas palavras das canções

    Primeiro, foram aquelas que explicavam
    E a música parava pra pensar
    Mas era tão bonito que parasse
    Que a gente nem queria reclamar
    Depois, foram as imagens que assombravam
    E outras palavras já queriam se cantar
    De ordem, de desordem, de loucura
    De alma à meia-noite e de indústria
    E a terra entrou em transe, ê
    No sertão de Ipanema
    Em transe, ê
    No mar de Monte Santo
    E a luz do nosso canto
    E as vozes do poema
    Necessitaram transformar-se tanto
    Que o samba quis dizer
    O samba quis dizer: "Eu sou cinema"
    O samba quis dizer: "Eu sou cinema"

    Aí o anjo nasceu
    Veio o bandido meteorango
    Hitler Terceiro Mundo
    Sem Essa, Aranha, Fome de Amor
    E o filme disse: "Eu quero ser poema"
    Ou mais: "Quero ser filme, e filme-filme"
    Acossado no limite da garganta do diabo
    Voltar à Atlântida e ultrapassar o eclipse
    Matar o ovo e ver a Vera Cruz
    E o samba agora diz: "Eu sou a luz"
    Da lira do delírio, da alforria de Xica
    De toda a nudez de Índia
    De flor de Macabéia, de Asa Branca
    Meu nome é Stelinha, é Inocência
    Meu nome é Orson Antônio Vieira Conselheiro de Pixote Super Outro
    Quero ser velho, de novo eterno
    Quero ser novo de novo
    Quero ser Ganga Bruta e clara gema
    Eu sou o samba, viva o cinema
    Viva o Cinema Novo

    Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção »

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Gilberto Gil

    Publicidade
    Notícias
    Mais notícias »
    Hot Spot
    Top Músicas do Vagalume
    Top 100 »

    As informações deste site são postadas integralmente pelos usuários. É importante dizer que é possível que os dados estejam desatualizados ou incorretos, sendo assim, o Vagalume exime-se de qualquer responsabilidade sobre as informações publicadas.Caso haja interesse em remover ou alterar alguma informação, entre em contato conosco.


    É permitida somente a visualização no site das letras de músicas encontradas aqui, vedada sua reprodução através de quaisquer outros meios (Lei 9610/98).Todas as letras de músicas são propriedade dos seus respectivos autores e divulgadas somente para fins educacionais.All lyrics are property and copyright of their owners. All lyrics are provided for educational purposes only.