Gerson Rufino

Débora e Jael

Gerson Rufino


Débora saiu. Saiu para julgar
Mas naquele dia, aquela judia iria viver
Algo bem singular.
No meio do povo estava Baraque,

Ela ali mandou ordenar o ataque,
pra livrar o povo do rei Cananeu, que estava oprimindo o povo hebreu...
Baraque então lhe impôs condição, eu vou mas você tem que vir a peleja, pra que meu exercito de perto veja, Deus contigo é...
Ela respondeu,Deus garante vitória,Baraque você não ficará com glória..
O seu inimigo vai ser abatido por uma mulher..

E assim o Senhor trovejou e fez cair no vale as correntes do céu, e os carros de ferro atolaram ficando a merce de Israel
O povo lutou derrotou o inimigo, e seu capitão a fugir do perigo, entrou numa tende de uma mulher, o seu nome é Jael..

E Ele lhe pede água e ela então lhe oferece leite para seu deleite, um descaso de guerra, deitado em terra ele impõe se a dormir...
De vagar ela pega uma estaca e na fronte lhe enterra e mostra a Baraque seu troféu de guerra...
O seu inimigo está morto aqui.


Refrão

Essas duas mulheres provam que a bíblia não tem preconceito
Quando a gente se entrega ele dá um jeito
Não importa se é homem, criança ou mulher
Essas duas mulheres provam que fragilidade é arma pra Deus
Quando o inimigo pensa que ele já venceu, com certeza é abatido pela nossa fé...
(com certeza é abatido pela nossa fé)


Ele lhe pede água e ela então
lhe oferece leite para seu deleite,
um descaso de guerra, deitado em terra ele impõe se a dormir...
De vagar ela pega uma estaca e na fronte lhe enterra e mostra a Baraque seu troféu de guerra...
O seu inimigo está morto aqui.

Refrão...

Letra enviada por

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta música

Ouça estações relacionadas a Gerson Rufino no Vagalume.FM

Mais ouvidas de Gerson Rufino

ESTAÇÕES

ARTISTAS RELACIONADOS