Página inicial > Bossa Nova > G > Geraldinho de Babíla

MIX DE MÚSICAS

FOTOS

geraldinho-de-babila - Fotos
geraldinho-de-babila - Fotos

+7

- Fotos

1978, ainda jovem e estudante e morando em Codó - Ma, na época de férias tinha contato com vários amigos que tocavam violão, escutava músicas de vários interpretes e já começava arriscar sua interpretação no estilo Bossa Nova, e era realmente percebido pelos demais, que achavam um tanto incomum sua musicalidade naquele estilo, que aquele era seu estilo e seu ritmo diferente.

Em 1982, ao chegar em Teresina Capital do Piauí, sentiu vontade de dar continuidade a sua musicalidade estudou violão e fez contatos com conhecidos piauienses, onde mostrou suas composições e obteve reconhecimento. Assim intensificou sua tendência sobre a Bossa Nova, e oportunizou lançamento do seu primeiro Cd intitulado "Tudo Sobre O Amor" , com 14 músicas inéditas de sua própria autoria.

Entre 1978 á 2002, Geraldinho de Babíla tem Inspirações suficiente para compor dezenas de músicas quantidade suficiente para se gravar vários Cd's.

Entre 2002 a 2005, as músicas amadurece e chegam de forma prazerosa baseado no cotidiano imaginário do dia a dia.

Em 2000, Geraldinho de Babíla lança seu primeiro Cd intitulado "Tudo Sobre o Amor" e é reconhecido pela critica musical jornalista de Teresina-Pi.

Nascido em 12 de Janeiro de 1963, na Cidade de Alto Araguaia - Mt,Centro-Oeste do Brasil, banhada pelo Rio Araguaia, fronteira com o estado de Goiás, vizinha Cidade de Santa Rita.

Filho do Piauiense Geraldo da Costa e Sousa e da Maranhese Valmira Paiva e Sousa. Ainda jovem perceptivo escutava o pai cantarolar a música do momento, em acordes naturais, interpreta pelo então Chico Buarque Holanda. As viagens que o pai fazia em período breve ao Rio de Janeiro a trabalho, ansiosa a volta por informações como ver o Flamengo jogar no Maracanã lotado, o Chopp realmente gelado de Copacabana, tendo como música ambiente Garota de Ipanema.

Era comum ouvir do pai em versos rápidos de Ari Barroso, Brasil meu Brasil Brasileiro, meu mulato inzoneiro vou cantar-te nos meus versos. A presença do pai lhe mostrando sem intenção nenhuma o que havia de melhor na música popular brasileira, aguçava cada vez mais o jovem que mudava de cultura a cada ano, quando o pai era transferido para outras agências do Banco do Brasil, mês de setembro, a Banda, a vontade de tocar.

Cada vez que escutava João Gilberto, Tom Jobim, Vinícius de Morais, se identificava com o cantar tímido, que era encoberto no caso do João pelos seus acordes, Tom tinha a abundância das teclas do piano, Vinícius a poesia o desinibia.

Geraldinho começava a ver o violão como saída para as horas de calmarias. Bossa Nova, doutrinava o ouvido com as mesma rapidez, que a vitrola girava o disco de vinil.

Não sabia mais escutar outro estilo, a voz ficava cada vez mais baixa, e suavizava como se fosse intencional, isso é Bossa Nova, eu realmente gosto de cantar baixinho, suave, bem sua vizinho. Os acordes deixavam a naturalidade, as notas dissonantes começavam a frequentar as mãos, e a querer predominar em cada música que aprendia.

Começava a chegada das percepções musicais, de onde vem esses tons que me dão lugar para encontrar outros tons, resultando numa composição, algo que jamais outro alguém compôs.

Em 2000 lança seu primeiro Cd intitulado "Tudo Sobre o Amor", com 14 músicas inéditas de sua autoria que foi um verdadeiro resgate da Bossa Nova, cantando coisas do coração.

A música moderna, romântica é marcante em quase todas as composições, uma verdadeira viagem ao túnel do tempo boêmio, seresteiro.


Redes sociais