Terno do Zé

Gangrena Gasosa

Gente Ruim Só Manda Lembrança Pra Quem Não Presta


Fudido desempregado
Mal saía do boteco
Na minha busca por um cruze
Só cantada de traveco

Quando abria a geladeira
O perrengue era pior
Que casa de passarinho
Só com água e jiló

Tava puto da vida
Não tinha porra nenhuma
Que se foda a merda toda
Apelei para macumba

Parei de roer o osso
Hoje eu como costela
Passista de samba
E atriz de novela

Cada dia uma mulher
Dei descanso pra minha mão
Eu não como mais moela
Agora só filé mignon

tô curtindo a vida como o diabo quer
Ando de carrão com as minas no meu pé
E pra pagar o trabalho que me deu fama e mulher
tô devendo uma cachaça
E um terno branco pro seu zé


Cuidado
Cuidado
Cuidado
Cuidado
Que o santo vai te cobrar

Compositor: Letra: Fabiano Soares, Angelo Arede; Música: Angelo Arede, Ge, Minoru Murakami

Letra enviada por Angelo Arede

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta música

Ouça estações relacionadas a Gangrena Gasosa no Vagalume.FM

MIX DE MÚSICAS

ARTISTAS RELACIONADOS