Samba-Enredo 1999

G.R.E.S. Tradição


Divina luz iluminou
A aura azul de Arthur Bispo do Rosário
Cinqüenta anos na colônia
Em seus delírios criou um mundo libertário
Abre a cortina da história, para homenagear
Quatro séculos de Jacarepaguá
A mando da coroa portuguesa
Donos da terra chegam pra colonizar
Encontram índios, fauna e flora,
e solo fértil para cultivar
O senhor de engenho
Plantou cana-de-açúcar e café (bis)
No terreirão da casa-grande
Ergueu templos em louvor à sua fé

Na estrada real de Santa Cruz
Caminhos da Corte do imperador
Yacaré-Upaá; guá
Voa nas asas do meu condor
Trouxe o progresso, a Maria Fumaça
O motorneiro, o bonde assumiu
Dando um toque de modernidade
Na "bela epóque", o cinema surgiu
Centro das grandes convenções
Gigantesco parque industrial
Palco da velocidade
paraíso do esporte radical
Foi com sua elegância e simpatia
Capital mundial da ecologia

Vou sacudir, vou balançar
Sou emergente, que emoção (bis)
Hoje eu sou Jacarepaguá
E Jacarepaguá é Tradição

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta música

Ouça estações relacionadas a G.R.E.S. Tradição no Vagalume.FM

MIX DE MÚSICAS

ARTISTAS RELACIONADOS