Samba-Enredo 2019

G.R.E.S. Beija-Flor de Nilópolis


Oh deusa
Tem festa no meu coração
Desfilo toda gratidão
Razão do meu cantar, a luz do meu viver
O que seria de mim sem você

Oh deusa
Tem festa no meu coração
Desfilo toda gratidão
Razão do meu cantar, a luz do meu viver
O que seria de mim sem você

Nascido feito o rei menino
Em ninho de amor e humildade
Meu pai direcionou o meu destino
Voar nas asas da felicidade

E arrisquei um voo nesse lindo azul
Um mundo encantado pude recordar
Em fábulas bordei a fantasia
Ê saudade que mareja o meu olhar

Herdeiro dessa terra me tornei
Cantei nossos recantos, tradições
Sou eu aquele festival de prata
Que na pista arrebata tantos corações

Ô ô ô ô axé no sangue herdei
No meu quilombo, todo negro é rei
Abre a senzala! Abre a senzala ô!
Nesse terreiro o samba é voz que não cala
Abre a senzala! Abre a senzala ô!
Nesse terreiro o samba é voz que não cala

Cresci, ouvindo acordes entre doces melodias
A bela dama retratada em poesia e o canto de cristal
A simplicidade no amor, aquele beijo na flor
Fez mais um sonho real

Pátria amada da ganância
Eu pedi socorro pelos filhos teus
Algoz da intolerância
Mesmo proibido, fui a voz de Deus

Toda essa grandeza, vem da nossa gente
Que esquece a dor e só quer sambar
É por esse amor que o meu valor me faz brilhar
Comunidade que me ensinou
A ser apaixonado como eu sou
Ontem, hoje, sempre beija-flor

Oh deusa
Tem festa no meu coração
Desfilo toda gratidão
Razão do meu cantar, a luz do meu viver
O que seria de mim sem você

Oh deusa
Tem festa no meu coração
Desfilo toda gratidão
Razão do meu cantar, a luz do meu viver
O que seria de mim sem você


Letra enviada por

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta música

Ouça estações relacionadas a G.R.E.S. Beija-Flor de Nilópolis no Vagalume.FM

ÚLTIMAS

MIX DE MÚSICAS

ARTISTAS RELACIONADOS