Samba-Enredo 2016

G.R.E.S. Beija-Flor de Nilópolis


Sou Beija-Flor, na alegria ou na dor
A Deusa da Passarela é ela!
Primeira na história do Marquês
Que na Sapucaí é soberana
De fato, nilopolitana

Abriu-se a cortina do tempo
Emoldurando a história a Beija-Flor ôô
De Nova Lima a poesia se fez
Na genialidade do marquês
Nasceu em Congonhas de Sabará
O mais puro ouro das Minas Gerais
Atravessou o mar, no afã de conquistar
Conhecimento em terras lusitanas
Brilhou aos olhos da lei
Formou-se bacharel
Fiel à nação, enfim regressou
A saudade apertou

Ecoou um brado de resistência
Ao longe se ouviu a voz da Independência
Pelo Brasil, impera felicidade
Já raiou a liberdade

Um homem de real valor
Um vencedor na estrada da vida
Em seu legado a primasia
Na gratidão que herdaria
Poeta, músico, escritor
O mineirinho que o Rio imortalizou
Teu chão floresce a nobreza pro samba passar
Um templo sagrado a luz do luar
Apoteose de todo sambista
Artista! Herdeiro verdadeiro de Ciata
Que hoje te abraça aos pés da praça
Em mais um Carnaval

Letra enviada por

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta música

Ouça estações relacionadas a G.R.E.S. Beija-Flor de Nilópolis no Vagalume.FM

ÚLTIMAS

MIX DE MÚSICAS

ARTISTAS RELACIONADOS