Samba-Enredo 2006

G.R.E.S. Beija-Flor de Nilópolis


Sou Beija-Flor
Poços de Caldas é a referência
Do caos inicial a explosão da vida
Sou água a nave-mãe da existência

Brilhou, no universo refletiu
Uma grande explosão
A mãe Terra enfim surgiu
Do céu uma imensa tempestade desabou
Nas águas se manifestou a vida
Assim ao longo de rios e mares
Surgem civilizações
Com arte e sabedoria
A liberdade buscar
Um novo mundo conquistar

Rei netuno quero navegar
Tenho medo deste mar secar
Me proteja quero mergulhar
Pro seu reino desvendar

Atlantida terra reluzente do amor
Do rumo celestial desviou
Ao fundo do mar foi tragada
O criador, abençoou o nosso chão
O combustivel da vida nos doou
O reino de todas as águas Brasil
A semente brotou com ela redenção e paz
Poços de Caldas tu és Minas Gerais
Derrama sobre a terra suas águas milagrosas
Preservação a sinfonia da vida
Ouça o lamento da natureza que chora
E o clamor que vem das águas
A eternidade pode começar agora

Compositor: Wilsinho Paz, Noel Costa, Alexandre Moraes, Silvio Romai

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta música

Ouça estações relacionadas a G.R.E.S. Beija-Flor de Nilópolis no Vagalume.FM

ÚLTIMAS

MIX DE MÚSICAS

ARTISTAS RELACIONADOS