Samba-Enredo 2001

G.R.E.S. Beija-Flor de Nilópolis


A SAGA DE AGOTIME, MARIA MINEIRA NAÊ

Maria Mineira Naê
Agotime no clã de Daomé
e na luz dos seus Voduns
Existia um ritual de fé
Mas isolada no reino um dia
escravizada por feitiçaria
Diz seu vodum que o seu culto
num novo mundo renasceria
Vai seguindo seu destino (de lá pra cá)
Sobre as ondas do mar
o seu corpo que padece
Sua alma faz a prece
pro seu povo encontrar


Chegou nessa terra santa
Bahia viu a Nação Nagô-ô-ô
e através dos orixás
O rumo do seu povo encontrou
Brilhou o ouro, com ele a liberdade
Foi pra terra da magia
Do folclore e tradição
Um buquê de poesia
A casa das minas
É o orgulho desse chão


Sou Beija-Flor e o meu tambor
Tem energia e vibração
Vai ressoar em São Luiz do Maranhão

Compositor: Déo Caruso, Cleber e Osmar

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta música

Ouça estações relacionadas a G.R.E.S. Beija-Flor de Nilópolis no Vagalume.FM

ÚLTIMAS

MIX DE MÚSICAS

ARTISTAS RELACIONADOS