Samba-Enredo 1990

G.R.E.S. Beija-Flor de Nilópolis


A luz resplandeceu no caos
Anunciando um novo dia
Haja terra, água, fogo e ar
Imensas florestas, terríveis animais
Surge o homem...
Todo mundo nasceu nu
Criou seu aparato, que barato!
Começando o rebu

Vestiu a frente
Cobriu atrás (bis)
Por baixo dos panos
Sacanagem...

Trepado no cangote
Dos pecados capitais
Galopou a humanidade
Um lindo paraíso descobriu

Sou eu este gigante "Brasil"
Tropeço do meu caminhar
Monstros de aço, em selvas de pedra
Ninho de famintas serpentes
Devoram toda riqueza e beleza
Que sufoco, minha gente!

Hei de vencer, de vencer
No carnaval extravaso o meu canto
Vale o que está escrito, é o grito:
"Olhai os lírios do campo"

Toca fogo no rabo
De quem nada faz (bis)
Eu sou povo, me acabo
E não agüento mais

Compositor: Betinho, Jorginho, Bira, Aparecida

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta música

Ouça estações relacionadas a G.R.E.S. Beija-Flor de Nilópolis no Vagalume.FM

ÚLTIMAS

MIX DE MÚSICAS

ARTISTAS RELACIONADOS