Samba-Enredo 2020

G.r.c.e.s. X-9 Paulistana


Quando um toque ritmado toca o destino
Cada passo mostra o que passou
Sou um contador e conto a dor de um peregrino
Um som divino me enfeitiçou
Vi os Ibejis beijarem a sorte
A morte singrar o oceano
Mudaram os ares, os mesmos olhares
Ferida no corpo, a alma espelha
Rufam tambores que marcam a pele vermelha

O som da Marujada
Na tribo que festeja
Encanta a batucada
Começa a peleja

Rito da moça na aldeia, tom que passeia no ar
É valor de mina longe a ecoar
Arrasta-pé no chão rachado
Poeira vagueia ao luar do sertão
Brilham forró e xaxado
Festa do Divino e São João
Gira a saia e abre a roda
Alegria transborda também na Bahia
Maracatus, Caboclinhos
Seguindo o caminho que a fé irradia
No Ticumbí, no Catopês
Pandeiros, ganzás, xequerês
Dos atabaques do jongo à Folia de Reis
zona norte desfila e emociona outra vez

Eu sou o samba, rei do povo brasileiro
Sou o batuque da X-9 nos terreiros
De Ogum, meu padroeiro, e de todos os orixás
Na pulsação que vem dos ancestrais

Compositor: André Diniz, Cláudio Russo, Marcio André Filho, Arlindinho, Marcelo Valência e Pê Santana

Letra enviada por Luiz

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta música

Ouça estações relacionadas a G.r.c.e.s. X-9 Paulistana no Vagalume.FM

ÚLTIMAS

MIX DE MÚSICAS

ARTISTAS RELACIONADOS