Poetry Of The Deed (tradução)

Frank Turner

Poetry of the Deed


Poesia da escritura


Eles estão saindo das paredes, eles estão chegando pelas ruas

eles são mercúrio destroçado por alguma batida invisível

direita fora de sua porta as pedras ganham vida

Eles são a mola no passo, o olhar distante nos olhos

Coloque o seu Baudelaire longe e vem de fora e jogar


Eu e todos os meus amigos são poetas da ação

Estamos exatamente o que este país precisa

Coçamos até que está bêbado, nós bebemos até sangrar

Nós somos o que pensamos


Pentameter no ataque, pulso iâmbico nas veias

verso livre ligado à rede de luz de rua

Uma Ilíada jogado fora, sem sombra de dúvida

Entre o fim do clube, o sol saindo

Deixe Kerouac em sua mesa, temos romance em nossos riscos


Eu e todos os meus amigos são poetas da ação

Estamos exatamente o que este país precisa

Coçamos até que está bêbado, nós bebemos até sangrar

Nós somos o que pensamos


E aqui está o que nós acreditamos: antes de ficar entediado, vamos ser inspirado

Vamos ignorar os aplausos e definir o teatro em chamas

Luta todas as guerras como os bêbados no coro

Coloque nossa arte, onde nossas bocas são: Poesia da escritura


Então, chega de palavras e teses técnicas

Vamos agarrar a vida pelo pescoço e vivê-la em pedaços

Nós podemos escolher, podemos mudar, e se não o fizermos

Estamos com medo de viver a vida como nós estamos amado e no amor e na vida

Para todas as coisas que poderiam ser se nós apenas acreditava nisso


A vida é curta demais para ser vivida sem poesia

Se você tem alma querida agora vamos lá e mostrá-la de mim


Mas a vida é longa demais para apenas cantar uma canção

então vamos queimar como um farol e depois vamos embora

Poetry Of The Deed


They're coming out of the walls, they're coming up through the streets,

they're quicksilver wracked by some invisible beat.

Right outside of your door the very stones come alive.

They are the spring in the step, the distant look in the eyes.

Put your Baudelaire away and come outside and play.


Me and all my friends are poets of the deed,

We're exactly what this country needs.

We scratch until we're drunk, we drink until we bleed.

We are what we believe.


Pentameter in attack, iambic pulse in the veins,

Free verse powered of the street light mains,

An Iliad played out without a shadow of doubt

Between the end of the club and the sun coming out.

Leave Kerouac at his desk, we have romance in our risks.


Me and all my friends are poets of the deed,

We're exactly what this country needs.

We scratch until we're drunk, we drink until we bleed.

We are what we believe.


And here's what we believe: before we get bored, let's be inspired,

Let's ignore the applause and set the theatre on fire,

Fight every war like the drunks in the choir,

Put our art where our mouths are: Poetry of the deed.


So enough with words and technical theses,

Let’s grab life by the throat and live it to pieces.

We can choose, we can change, and if we don't,

We're just afraid of living life like we're loved and in love and alive

To all the things we could be if we just believed that


Life is too short to be lived without poetry.

If you've got soul darling now come on and show it me. (6x)


But life is too long to just sing the one song,

so we'll burn like a beacon and then we'll be gone.

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta música

ÚLTIMAS

MIX DE MÚSICAS

ARTISTAS RELACIONADOS