• Vagalume
  • A-Z
  • Estilos
  • Top 100
  • Playlists
  • Rádio
  • Hot Spots
  • Notícias
  • Play
    PLAY

    Eu trabalhei de pintor no sul
    Recife, Caruaru e lá em Salvador
    Com um senhor chamado José
    E a mulher desse José por mim se apaixonou

    Eu enrolado que só grampo de arame
    Com vergonha da madame não podia me conter
    Tu pode crer quando ela dava silibrina
    No portão da oficina me chamava pra me ver

    Hoje eu quero é você
    Diz Zé como é teu nome
    Hoje aqui o couro come
    O couro come e ninguém vê

    Mulher metida no ramo do automóvel
    Comprou um Ford 29 e mandou eu pintar
    Foi se deitar e não disse a cor adequada
    Eu dei uma tinta errada e ela deu um parará

    Mas ela hoje está comigo zangada
    O pobre desse pintor não ficou com nada
    A fubica dela está toda avermelhada
    Somente porque eu dei uma tinta errada

    Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção »

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Flávio José

    Publicidade
    Notícias
    Mais notícias »
    Hot Spot
    Top Músicas do Vagalume
    Top 100 »

    As informações deste site são postadas integralmente pelos usuários. É importante dizer que é possível que os dados estejam desatualizados ou incorretos, sendo assim, o Vagalume exime-se de qualquer responsabilidade sobre as informações publicadas.Caso haja interesse em remover ou alterar alguma informação, entre em contato conosco.


    É permitida somente a visualização no site das letras de músicas encontradas aqui, vedada sua reprodução através de quaisquer outros meios (Lei 9610/98).Todas as letras de músicas são propriedade dos seus respectivos autores e divulgadas somente para fins educacionais.All lyrics are property and copyright of their owners. All lyrics are provided for educational purposes only.