Página inicial > Sertanejo > F > Fernando e Sorocaba > Poeira da Estrada (Com César Menotti e Fabiano)

Poeira da Estrada (Com César Menotti e Fabiano)

Fernando e Sorocaba


Levantei a tampa voltei ao passado
Meu mundo guardado dentro de um baú
Encontrei no fundo todo empoeirado
O meu velho laço bom de couro cru
Me vi no arreio do meu alazão
Berrante na mão no meio da boiada
Abracei meu laço velho companheiro
Bateu a saudade veio o desespero
Sentido o cheiro da poeira da estrada

Estrada que era vermelha de terra
que o progresso trouxe o asfalto e cobriu
Estrada que hoje chama rodovia
Estrada onde um dia meu sonho seguiu
Estrada que antes era boiadeira
Estrada de poeira de sol chuva e frio
Estrada ainda resta um pequeno pedaço
A poeira do laço que ainda não saiu

Poeira da estrada só resta saudade
Poeira na cidade é a poluição
Não se vê vaqueiros tocando boiada
Trocaram cavalo pelo caminhão
E quando me bate saudade do campo
Pego a viola e canto a minha solidão
Não me resta muito aqui na cidade
E quando a tristeza pega de verdade
Eu mato a saudade nas festas de peão

Compositor: Rick/João Paulo

Letra enviada por

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta música

Ouça estações relacionadas a Fernando e Sorocaba no Vagalume.FM

ÚLTIMAS

MIX DE MÚSICAS

ARTISTAS RELACIONADOS