Página inicial > Hip Hop > F > Facção Central > São Paulo - Aushwitz Versão Brasileira

São Paulo - Aushwitz Versão Brasileira

Facção Central

Facção Central: Ao Vivo


Aqui é facção direto do campo de extermínio
Testemunha da carnificina, em baixo da chuva de tiro
Amor impossível diabo guia o destino
Me põem no latrocínio da puta de conversível
Pro porco de farda me abate igual um rato
Troca meu corpo decapitado por um abono no salário
Ou Pra me ver na frente do jurado de joelho
Ouvindo o veredito de 15 sem apelo

Não tem chance o filho da tia que se mata no tanque
O número 1 do rank tem apê em Miami
Se você não tem mansão com cerca eletrificada
Pode amarrar o motorista, catar a carreta e a carga
Mandei minha mina tomar citotec pra abortar
Mata o feto, pro sistema o homem não matar
Um a menos com a caixa de isopor no farol
Sendo olhado com nojo enquanto oferece skol
Sou condenado a vender brinquedo, do Paraguai
No máximo ser piruero: "tá vazia, quem vai vai"
Quero a jóia da caixa econômica do centro
Não sequestrar dono de fusca com cartão do Bradesco
Vejo os truta no metrô por 70 conto ou por 10 passe
Matando o cobrador do ônibus, implorando pra tá no
obituário da carceragem
Seu corpo de órgão vendido e cheio de serragem
Vai pro Conrad dentro do milionário aposta num caça níquel
Em forma de rim traficado, amanheceu e a cena é preservada
Pela Pm enquadraram viram que era polícia, adeus tenente
Fita na Kombi, da mallboro, burguesa enterrada viva
Chacina na escolta do caminhão das Casas Bahia
Não tem poder aquisitivo enfia no cu seu distintivo
Pra Sp Auschwitz nem blindagem sexto nível

Em baixo da chuva de tiro testemunha do genocídio
Aqui é facção direto do campo de extermínio(4x)

Solta rojão que os carniceiros tão subindo o morro
Herói na busca do ladrão
Mulher em casa dando pra outro
Todo bombado, inchado tipo pitbull
Vem com um oitão contra Ar15 vai tomar no cu
Mora na favela seca farda escondido
Vítima do mesmo local, mas lambe o saco do executivo
Sonha comigo no sistema carcerário brasileiro
Que só fica preso quem não tem arma nem dinheiro

Cem mil reais e o carcereiro se envolve
Inventa doença e o no trajeto do Ps você foge
Ou de repente um helicóptero seqüestrado
Sem levar um tiro te resgata do pátio
Tipo filme do Al Pacino, minissérie da globo:
"Alô delegado to na água de côco; vem me prender de novo"
O fuzil que atira e mata seqüestrado
É o gambé que traz pra vender no porta malas
Cinquenta mil de recompensa pela quadrilha
Pro prefeito iniciativa, mas pau no seu cu se é da sua família
Pra pistola israelense não tem cara exposta na revista
Por um triz não foi pro inferno Show do milhão, A Casa dos Artistas

Queria ser terrorista com o apetite do Bin Laden
Pra jogar no congresso seis aviões da Varig
E me vingar pelas crianças sem escola em São Paulo
Os velhos no lixão disputando comida com rato
Aqui pra ter a cesta, biológica básica
Só caindo do avião da Onu tipo na África
Dão motivo pra disparar Ak no banqueiro
Pra no ano ter trezentos no cativeiro
Enquanto o casal de Pajero paga oitenta no camarão
A mãe poe a filha no puteiro pra trazer a refeição
Só no B.O falsificado diminui os homicídios

Pra Sp Auschwitz
Nem blindagem sexto nível
Em baixo da chuva de tiro testemunha do genocídio
Aqui é facção direto do campo de extermínio

Compositor: Eduardo e Dum Dum

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta música

Ouça estações relacionadas a Facção Central no Vagalume.FM

ÚLTIMAS

MIX DE MÚSICAS

ARTISTAS RELACIONADOS