La Guerra Di Piero (tradução)

Fabrizio de Andrè

Tutto Fabrizio De André


Dormes sepultado num campo de trigo,


não é a rosa, não é a tulipa

que te velam dá sombra dos fossos,

mas são mil papoulas vermelhas.


Ao longo das margens do meu torrente

quero que desçam os peixes prateados,

não mais os cadáveres dos soldados

levados nos braços dá corrente.


Assim tu dizias e era de inverno

e como os outros em direção do inferno

tu caminhas triste como quem deve.

O vento te cospe na cara a neve.


Pare Piero, pare agora,

deixas que o vento te passe um pouco no corpo,

dos mortos em batalha te leve a voz.

Quem deu a vida teve em troca uma cruz.


Mas tu não o ouvistes e o tempo passava

com as estações a passo de dança

e chegastes a passar a fronteira

num belo dia de primavera.


E enquanto marchavas com a alma nos ombros

viste um homem no fundo do vale

que havia teu mesmo idêntico humor

ma a farda de uma outra cor.


Disparas-lhe Piero, dispara-lhe agora

e depois de um tiro dispara-lhe ainda

até que tu não o verás exangue

cair no chão a cobrir seu sangue.


E se lhe dou um tiro na testa ou no coração

terá somente o tempo para morrer,

mas para mim ficará o tempo de ver,

ver os olhos de um homem que morre.


E enquanto tu lhe reservas esta atenção

aquele se vira , te vê e fica com medo,

e apoiada no ombro a artilharia

não retribui a cortesia.


Caístes no chão sem um lamento

e reparastes num só momento

que o tempo não seria bastante

para pedir perdão por cada pecado.


Caístes no chão sem um lamento

e reparastes num só momento

que a tua vida acabava aquele dia

e não teria uma volta.


Ninetta minha, morrer de maio

é preciso ter tanto, demais coragem.

Ninetta bela, direto para o inferno

teria preferido ir de inverno.


E enquanto o trigo te estava ouvindo,

entre as mãos apertavas o fuzil,

dentro da boca apertavas palavras

demais geladas para derreter ao sol.


Dormes sepultado num campo de trigo,

não é a rosa, não é a tulipa

que te velam dá sombra dos fossos,

mas são mil papoulas vermelhas.


La Guerra Di Piero


Dormi sepolto in un campo di grano

non è la rosa non è il tulipano

che ti fan veglia dall'ombra dei fossi

ma sono mille papaveri rossi


Lungo le sponde del mio torrente

voglio che scendano i lucci argentati

non più i cadaveri dei soldati

portati in braccio dalla corrente


Così dicevi ed era d'inverno

e come gli altri verso l'inferno

te ne vai triste come chi deve

il vento ti sputa in faccia la neve


Fermati Piero, fermati adesso

lascia che il vento ti passi un po' addosso

dei morti in battaglia ti porti la voce

chi diede la vita ebbe in cambio una croce


Ma tu non lo udisti e il tempo passava

con le stagioni a passo di java

ed arrivasti a varcar la frontiera

in un bel giorno di primavera


E mentre marciavi con l'anima in spalle

vedesti un uomo in fondo alla valle

che aveva il tuo stesso identico umore

ma la divisa di una altro colore


Sparagli Piero, sparagli ora

e dopo un colpo sparagli ancora

fino a che tu non lo vedrai esangue

cadere in terra a coprire il suo sangue


E se gli spari in fronte o nel cuore

soltanto il tempo avrà per morire

ma il tempo a me resterà di vedere

vedere gli occhi di un uomo che muore


E mentre gli usi questa premura

quello si volta, ti vede e ha paura

ed imbracciata l'artiglieria

non ti ricambia la cortesia


Cadesti in terra senza un lamento

e ti accorgesti in un solo momento

che il tempo non ti sarebbe bastato

a chieder perdono per ogni peccato


Cadesti in terra senza un lamento

e ti accorgesti in un solo momento

che la vita finiva quel giorno

e non ci sarebbe stato ritorno


Ninetta mia crepare di maggio

ci vuole tanto troppo coraggio

Ninetta bella dritto all'inferno

avrei preferito andarci in inverno


E mentre il grano ti stava a sentire

dentro alle mani stringevi il fucile

dentro alla bocca stringevi parole

troppo gelate per sciogliersi al sole


Dormi sepolto in un campo di grano

non è la rosa non è il tulipano

che ti fan veglia dall'ombra dei fossi

ma sono mille papaveri rossi.


Compositor: Fabrizio De Andrè

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta música

MIX DE MÚSICAS

ARTISTAS RELACIONADOS