Página inicial > Metal > E > Eu Acuso! > Síndrome

Síndrome

Eu Acuso!

Síndrome de Estocolmo


A liberdade é uma ameaça
À liberdade de comprar
A propaganda que embriaga
Teus sentidos e coloca uma mordaça
A tua boca quer gritar
Mas ao teu lado faltam ouvidos
Ninguém se importa em escutar
Os teus lamentos esquecidos
E a vontade de lutar

Nesse jogo mortal
Onde todos somos feras
Sequestrados e vendidos no mercado formal
Amarrados aos desejos de uma vida efêmera
Escolha sua vitrine
Onde está o produto a cada eleição
A mentira que cativa, ilusão suicida
O cativeiro é uma urna em forma de televisão

Os olhos vendados
Andando no escuro
Recitando o salmo, não enxergo a um palmo
Síndrome de estocolmo

Sequestrados os sonhos
O cartão de crédito fecha o cadeado
Os desejos mesquinhos capturam o futuro
O sistema obscuro desconstrói o passado
Falsa liberdade de escolhas
Cada passo vigiado pelo grande irmão
Liberdade presumida garantida em mil folhas
Nesse jogo de mentiras e ilusão

Os olhos vendados
Andando no escuro
Recitando o salmo, não enxergo a um palmo
Síndrome de estocolmo

Letra enviada por Eu Acuso

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta música

Ouça estações relacionadas a Eu Acuso! no Vagalume.FM

MIX DE MÚSICAS