Página inicial > Metal > E > Eu Acuso! > Nações

Nações

Eu Acuso!

Síndrome de Estocolmo


Carijós receptivos à igreja
Foram exterminados nos canaviais
Caetés comeram o bispo em comunhão
Escravizados, dizimados, todos! sem exceção

Pankararu em guerra com posseiros
A toré sua resistência, sua identidade
O genocídio brasileiro, aimoré guerreiro
Lutaram o tempo inteiro
Contra o invasor europeu

Charrua não se rendeu
E os minuanos correm livres como o vento
Kaiapó o xingu ainda é teu
Panará a tua terra é aqui
Guarani teu canto, um lamento ancestral
É força que afasta o mal

Guiray - poty chorou
E o mundo se transformou
Da serra crijijimbé
Kañerú
Kamé

Os suruís encontrados há quarenta anos
Quase todos mortos pelo sarampo
Os tabajaras se miscigenaram
E os tamoios até seu último homem lutaram

Xavantes não se entregaram
E os minuanos correm livres como o vento
Bororos ao seu lugar retornaram
Panará a tua terra é aqui
Guarani teu canto, um lamento ancestral
É força que afasta o mal

Guiray - poty chorou
E o mundo se transformou
Da serra crijijimbé
Kañerú
Kamé

Letra enviada por Eu Acuso

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta música

Ouça estações relacionadas a Eu Acuso! no Vagalume.FM

MIX DE MÚSICAS