Muito mais que só letras de músicas

  • Vagalume
  • A-Z
  • Estilos
  • Top 100
  • Playlists
  • Rádio
  • Hot Spots
  • Notícias
  • Play
    PLAY

    Margarida era rosa, bela
    Cheirosa e grampola, tipo casa das camélias
    Gostosa, bromélia, toda prosa
    A me enlouquecer, bela, tipo um ipê, frondosa
    É um lírio, causa delírios, líria
    Vício é vigiar, chique como orquídea
    Ahh, cabelos como samambaia e xaxim
    Flô, perto dela as outras são capim pô
    Girassol violeta, beleza violenta
    Passou aqui como se o mundo gritasse arrasa bi!
    Flor de laranjeira ou primavera inteira são
    Flores e mais flores todas as cores da feira, irmão
    "ô, essa nega é trepadeira, hein"
    Minha tulipa! a fama dela na favela
    Enquanto eu dava uma ripa
    Tru, azeda o caruru
    Os manos me falavam que essa mina dava mais
    Do que chuchu
    Ai é problema, hein, você é loco

    Você era o cravo ela era a rosa, e cá entre nós
    Gatinha, quem não fica bravo dando sol e água
    E vendo brotar erva daninha
    Chamei de banquete era fim de feira
    Estendi o tapete mas ela é rueira
    Dei todo amor, tratei como flor
    Mas no fim era uma trepadeira

    Mamãe olhou e me disse "isso ai é igual trevo de 3 folhas
    Quer comer, come. mas não dá sorte"
    Vai, brinca com a sorte

    Bem me quer, mal me quer, ó
    Nosso amor perfeito amargou, tipo jiló
    Maria sem vergonha, eu, burro, chamei de trevo de 4 folhas
    In love, enraizou, fundo
    Mas você não da, ou melhor dá, mas pra tudo mundo
    Eu quis te ver de jasmim, firmeza
    No altar, preza, branquinho, olha, magnólia, beleza
    Victoria régia, brincos de princesa
    Azaleia pura, madre teresa
    Mas não
    Você me quis salgueiro chorão, costela de adão
    Raspou o cabelo de sansão
    E tu vem, meu coração parte e grita assim
    "arrasa biscate! "
    Merece era uma surra, de espada de são jorge (é)
    Chá de "comigo ninguém pode"
    Eu vou botar seu nome na macumba, viu
    Então segura

    Você era o cravo ela era a rosa, e cai entre nós
    Gatinha, quem não fica bravo dando sol e agua
    E vendo brotar erva daninha
    Chamei de banquete era fim de feira
    Estendi o tapete mas ela é rueira
    Dei todo amor, tratei como flor
    Mas no fim era uma trepadeira

    Wilson das neves: tá vendo ai parceiro?
    Emicida: o que?
    Wilson das neves: fui dar assunto, ai, virou bagunça
    Me esculachou. por sorte
    Emicida: que sorte hein
    Wilson das neves: também agora sai fora, xô xô
    Emicida: vai embora, pode descer a ladeira
    Wilson das neves: xô, xô
    Risadas
    Emicida: sai, sai andando. não merecia nem essa rap
    Gastando tinta com isso ai? tá loco
    Wilson das neves: mas que era bom era
    Emicida: isso é verdade
    Risadas

    Letra enviada por Thata
    Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção »

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Emicida

    Publicidade
    Notícias
    Mais notícias »
    Hot Spot
    Top Músicas do Vagalume
    Top 100 »

    As informações deste site são postadas integralmente pelos usuários. É importante dizer que é possível que os dados estejam desatualizados ou incorretos, sendo assim, o Vagalume exime-se de qualquer responsabilidade sobre as informações publicadas.Caso haja interesse em remover ou alterar alguma informação, entre em contato conosco.


    É permitida somente a visualização no site das letras de músicas encontradas aqui, vedada sua reprodução através de quaisquer outros meios (Lei 9610/98).Todas as letras de músicas são propriedade dos seus respectivos autores e divulgadas somente para fins educacionais.All lyrics are property and copyright of their owners. All lyrics are provided for educational purposes only.