Chão

Eduardo Toledo


Quando descia margens de um rio
Que sempre imaginei
Fosse desaguar no mar
Não percebia que pedras que desviam
O curso da razão
As águas do coração
Então me vi assim
Uma folha de papel marrom
Que caía de um arranha-céu
E aprendi que o vôo é bom
Mas é preciso aterrissar
E pisar sobre o meu chão
O chão por onde andei
O chão onde caí
Pra poder modificar
O meu modo de existir
Leva contigo o meu abraço mais forte
Deixe fazer sentido o nosso amor
A nossa sorte

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta música

Ouça estações relacionadas a Eduardo Toledo no Vagalume.FM

MIX DE MÚSICAS

ARTISTAS RELACIONADOS