Edith Piaf

1935-1942 / 1936-1945


Meu Legionário


Ele tinha grandes olhos claros

Onde às vezes ia relâmpago

Como tempestades vão para o céu

Ele estava cheio de tatuagens

O que eu nunca entendi muito bem

Seu pescoço foi "não vi, não aceita

Em seu coração estava escrito: "pessoa"

Em seu braço direito a palavra "razão"


Eu não sei o nome dele, eu não sei nada sobre ele

Ele me amou durante toda a noite

Meu Legionário!

E deixando-me ao meu destino

Ele saiu de manhã

Cheio de luz!

Era magro ele estava bem

Cheirava areia quente

Meu Legionário!

Y'avait o sol na testa

Quem colocou em seu cabelo louro

Da luz!


perdeu Felicidade, felicidade fugiu

Ainda penso naquela noite

E inveja de sua pele me come

Às vezes eu choro e então eu sonho

Foi quando meu coração

Eu teria chorado minha felicidade

Mas eu não ousei dizer nada

Eu estava com medo de vê-lo sorrir!


Ele foi encontrado no deserto

Ele tinha seus belos olhos abertos

No céu nuvens passageiras

Ele mostrou suas tatuagens

sorrindo e disse

Mostrando seu pescoço ", não viu, não aceita

Mostrando seu coração "pessoa aqui

Ele não sabia... eu o perdôo


Mas eu sonhei que o destino

me traria uma manhã

Meu Legionário!

Isso seria ir longe de ambos

No país das fadas

Cheio de luz!

Era magro ele estava bem

Ele foi colocado na areia quente

Meu Legionário!

Y'avait o sol na testa

Quem colocou em seu cabelo louro

Da luz!

Mon Légionnaire


Il avait de grands yeux très clairs

Où parfois passaient des éclairs

Comme au ciel passent des orages.

Il était plein de tatouages

Que j’ai jamais très bien compris,

Son cou portait: “pas vu, pas pris”

Sur son coeur on lisait: “personne”

Sur son bras droit un mot: “raisonne”.


Je sais pas son nom, je ne sais rien de lui

Il m’a aimée toute la nuit

Mon légionnaire!

Et me laissant à mon destin

Il est parti dans le matin

Plein de lumière!

Il était mince il était beau,

Il sentait bon le sable chaud

Mon légionnaire!

Y’avait du soleil sur son front

Qui mettait dans ses cheveux blonds

De la lumière!


Bonheur perdu, bonheur enfui,

Toujours je pense à cette nuit,

Et l’envie de sa peau me ronge.

Parfois je pleure et puis je songe

Que lorsqu’il était sur mon coeur,

J’aurais dû crier mon bonheur…

Mais je n’ai rien osé lui dire.

J’avais peur de le voir sourire!


On l’a trouvé dans le désert,

Il avait ses beaux yeux ouverts,

Dans le ciel passaient des nuages.

Il a montré ses tatouages

En souriant et il a dit,

Montrant son cou: “pas vu, pas pris”

Montrant son coeur: “ici personne”

Il ne savait pas… Je lui pardonne.


Je rêvais pourtant que le destin

Me ramènerait un beau matin

Mon légionnaire!

Qu’on s’en irait loin tous les deux

Dans quelque pays merveilleux

Plein de lumière!

Il était mince il était beau,

On l’a mis sous le sable chaud

Mon légionnaire!

Y’avait du soleil sur son front

Qui mettait dans ses cheveux blonds

De la lumière!

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta música

ÚLTIMAS

MIX DE MÚSICAS

ARTISTAS RELACIONADOS