Diogo Nogueira
Página inicial > Samba > D > Diogo Nogueira > Um Pedido / Nascente da Paz

Um Pedido / Nascente da Paz

Diogo Nogueira


Eu fiz um pedido
Pra Nossa Senhora
Pra me dar a graça
De um bem querer

Pra ser o meu dia, minha madrugada
Que goste de tudo que eu goste também
Encher o vazio que está em meu peito
Pra poder bater feliz meu coração
Não quero mais a falsa liberdade
Amor de falsidade, amor de ilusão

Eu fiz um pedido
Pra Nossa Senhora
Pra me dar a graça
De um bem querer

Pra ser o meu dia, minha madrugada
Que goste de tudo que eu goste também
Encher o vazio que está em meu peito
Pra poder bater feliz meu coração
Não quero mais a falsa liberdade
Amor de falsidade, amor de ilusão

Eu quero o sorriso de uma criança
Eu quero a esperança a se renovar
Eu quero a verdade com cumplicidade
Eu quero aliança pra eternizar

Eu acredito no amor
Da fé não posso duvidar
Meu sonho eu vou realizar
Eu tenho que perseverar
A minha estrela vai brilhar
E essa tristeza vai passar
Vai passar, vai passar, vai passar

Eu acredito no amor
Da fé não posso duvidar
Meu sonho eu vou realizar
Eu tenho que perseverar
A minha estrela vai brilhar
E essa tristeza vai passar

Eu fiz um pedido
Pra Nossa Senhora
Pra me dar a graça
De um bem querer

Pra ser o meu dia, minha madrugada
Que goste de tudo que eu goste também
Encher o vazio que está em meu peito
Pra poder bater feliz meu coração
Não quero mais a falsa liberdade
Amor de falsidade, amor de ilusão

Eu quero o sorriso de uma criança
Eu quero a esperança a se renovar
Eu quero a verdade com cumplicidade
Eu quero aliança pra eternizar

Eu acredito no amor
Da fé não posso duvidar
Meu sonho eu vou realizar
Eu tenho que perseverar
A minha estrela vai brilhar
E essa tristeza vai passar
Vai passar, vai passar, vai passar

Eu acredito no amor
Da fé não posso duvidar
Meu sonho eu vou realizar
Eu tenho que perseverar
A minha estrela vai brilhar
E essa tristeza vai passar

Alô, São Adriano
Maravilha, ê

O meu sonho verdadeiro é gostoso de sonhar
Todo mundo no terreiro indo até o sol raiar
Sob a luz da poesia é tão doce de cantar
E ao som dos tantãs e dos barangandãs
Eu não quero parar

Vou sambando, sorrindo, cantando
Ao sabor do luar
É um samba dolente ou
Até de repente pra gente versar
Se encanta, se canta e se planta a raiz popular

Samba é filosofia, fidalguia do salão
Tem a força e a magia que acende o coração
E pra minha alegria o meu samba vai além
É a minha bandeira, paixão verdadeira
Que me satisfaz

Essa luz tão divina ilumina os nossos quintais
É um tom envolvente, presente da gente
Nascente da paz
Essa luz tão divina ilumina os nossos quintais

Bororó, bororó, bororó, bororó
Bororó, bororó, bororó
Bororó, bororó, bororó, bororó
Bororó, bororó, bororó

Bororó, bororó, bororó, bororó
Bororó, bororó, bororó
Bororó, bororó, bororó, bororó
Bororó, bororó, bororó

Letra enviada por

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta música

Ouça estações relacionadas a Diogo Nogueira no Vagalume.FM

ESTAÇÕES

ARTISTAS RELACIONADOS