Herói do Brasil

Dino Franco e Mouraí


Quando a segunda guerra na Europa eclodiu
Pela força aliada nosso país se uniu
Fomos combater o eixo com rajadas de fuzil
Contra o nazi-fascismo que ao mundo se insurgiu
Lá nos campos de batalha
Aportamos na Itália em viagem de navio

Comandando a infantaria de um modo não gentil
Um tenente orgulhoso esta frase proferiu
Quem comanda aqui sou eu, soldado é bicho servil
Não discutam minha ordens, não quero ouvir nenhum piu
Eu vou ganhar esta guerra
E voltar pra minha terra, eu sou um homem de brio

Chamando um rapaz de cor pela alcunha de tizio
O tenente enfezado assim pra ele pediu
Corra pra linha de fogo, negro cara de bugio
Se vacilar você dorme daqui pra frente no frio
Beija o gelo da montanha
Se falhar você apanha, detesto infante vadio

O pretinho sem demora aquela instrução cumpriu
Enfrentando os carcamanos muitos deles destruiu
Por má sorte o Tenente aos pés do negro caiu
Um balaço em seu peito neste momento explodiu
Vendo que era fatal
O negro com seu punhal aquele bala extraiu

Ali mesmo na campanha a operação concluiu
Não havendo mais perigo o tenente ele conduziu
Quando chegou na caserna grande emoção sentiu
O tenente agora salvo perdão ao negro pediu
Devo a vida ao senhor
Muito obrigado doutor, herói do nosso Brasil

(Pedro Paulo Mariano - Santa Maria da Serra-SP)

Compositor: Dino Franco e Oswaldo de Andrade

Letra enviada por

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta música

Ouça estações relacionadas a Dino Franco e Mouraí no Vagalume.FM

MIX DE MÚSICAS

ARTISTAS RELACIONADOS