Último Freguês

Di Paullo e Paulino

Passarinho Do Sertão


Quantas vezes na mesa do bar
Eu adormeci esperando meu bem
Sabendo que ela não voltava
Porque já estava nos braços de alguém

Revoltado eu não ia embora
E me consolava com outra qualquer
O meu pranto molhando a mesa
Chorava e bebia por esta mulher

Ai, ai, chora triste o meu coração
Ai, ai, o seu nome baixinho eu chamo
Mas quem me responde é a solidão

Quando chega alta madrugada
O dia anuncia que a noite acabou
Sempre sou o último freguês
E vejo outra vez que ela não voltou

Saio triste jurando baixinho
Que nunca mais volto pra te esperar
Cai a noite e eu volto de novo
Com a mesma saudade a me acompanhar

Ai, ai, chora triste o meu coração
Ai, ai, o seu nome baixinho eu chamo
Mas quem me responde é a solidão

Compositor: Reinaldo Queiroz/Paulino

Letra enviada por

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta música

Ouça estações relacionadas a Di Paullo e Paulino no Vagalume.FM

MIX DE MÚSICAS

ARTISTAS RELACIONADOS