É Quando Vem

Damas do Nada

Tributo ao Silêncio


Ainda estamos presos no atraso do seu pesar
Divididos, chore pela chance de não voltar
Veja-os a espreita, eu não deixo mágoas
Ouça o meu lamento, veja o eterno tempo nos tirar

É quando vem
Eu não ouso recusar
É quando vem
É quando vem, eu sei
À você, o que quiser
É quando vem, quem sou
Pra dizer o que você não quer

Mãe meus sonhos, faça do pesar uma nova manhã
Queime como gelo, interprete o louco de uma mente sã
Diga não as vezes que eu serei um homem, enfim
Com um sorriso de verniz, egoísta é o homem que é feliz

É quando vem
Eu não ouso recusar
É quando vem
É quando vem, eu sei
À você, o que quiser
É quando vem, quem sou
Pra dizer o que você não quer

Em você a vingança é doce e inevitável
Com você, quando o céu se abrir em chamas
Esmaecer, um modo relutante de sobreviver

É quando vem

Letra enviada por Hélio Abreu

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta música

Ouça estações relacionadas a Damas do Nada no Vagalume.FM

MIX DE MÚSICAS