Página inicial > Folk > C > Corticoide > Linha 689

Linha 689

Corticoide


Numa quarta-feira
Acordei cedo
Pra ir pro curso
Em Madureira

Chegando lá no ponto
Às sete horas
Cadê o ônibus?
Mas que demora

Passou trinta minutos
Veio o maldito
Rodando à vinte
Todo caído

No 689
Cansei de ver
Velho tomando tombo
Na hora de descer

Na estação de Realengo
Subiu quatro malucos
Um viado, um gordo
Um manco e um surdo

Sentado no banco da ponta
Tu sabe como é
Leva sarrada dos caras
Que estão do teu lado em pé

Sento lá atrás
Me sinto na Mocidade
Pois as janelas e bancos
Batem com toda vontade

Quando pego esse busão
Cansado do dia-a-dia
O vendedor ambulante grita
É um real a Paçoquita

É três por um real
Você só encontra esse preço na mão do ambulante
Quem vai? quem vai?
É marca, é luxo, é qualidade
Vamos comprar que tá acabando
Só tem seis. Só tem seis
Olha aê. Olha aê
Olha a Paçoquita

Chegando em Marechal
A porra do pneu fura
E todos os passageiros
Ficam largados na rua

Eu já estou atrasado
Umas meia hora ou mais
E o motorista me diz
Que já vem outro atrás

Tô falando sério,
Se tu pegar esse ônibus tu vai se foder!

689 689 689 689
689 689 689
É linha 689

Compositor: Jimmy Hard

Letra enviada por Corticoide

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta música

Ouça estações relacionadas a Corticoide no Vagalume.FM

MIX DE MÚSICAS