Nada de Novo

Ciro Monteiro


Papéis sem conta sobre a minha mesa
O vento espalha as cinzas que deixei
Em forma de poemas
Antigos, relidos
Perdido enfim,
Confesso, até chorei

Nada mais importa
VocĂȘ passou
Meu samba sem razĂŁo
Se acabou
Um sonho foi desfeito
Alguma coisa diz
Preciso abandonar
Os versos que jĂĄ fiz

Nada de novo
Capaz de despertar minha alegria
O sol, o céu, a rua
Um beijo frio, um ex-amor
Alguém partiu, alguém ficou
É carnaval

Eu gostaria de ver
Esta tristeza passar
Um novo samba compor
Um novo amor encontrar
Mas a tristeza Ă© tĂŁo grande no meu peito
NĂŁo sei pra que a gente fica desse jeito...

(intervalo instrumental)

(repete a segunda estrofe)

(intervalo instrumental)

(repete as duas Ășltimas estrofes)

Compositor: Paulinho Da Viola

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta mĂșsica

Ouça estaçÔes relacionadas a Ciro Monteiro no Vagalume.FM

MIX DE MÚSICAS

ARTISTAS RELACIONADOS