Mobatala

Cidade Negra

Enquanto O Mundo Gira


Das mais hediondas e aterrorizantes raízes das dores da escravatura, surgiu o oposto, surgiu o contrårio, de gosto e itinerårio, como aquela flor do lodo, mas ao invés das flores de lodo, que são brancas, eram coraçÔes de cravos, rosas e rubis vermelhos, pulsantes dentro de corpos negros de Înix azuladas, de tanto negror da noite infinita. Estrelada apenas com o brilho das estrelas dos teus olhos com fulgor de gås neon, trazendo sussuros de elétrons, que se avistam aqui...
O trio eletrĂŽnico fabrica
AtĂŽmico - adrenalina como um tĂŽnico pra felicidade que vĂȘ toda vertigeme a viagem da velocidade...
Idiota, segundo os gregos, Ă© aquele que fica parado num canto, lĂĄ do Rio
Amazonas vĂȘm os defensores da floresta que nos resta...
O trio eletrĂŽnico...
daĂ­ se vĂȘ, saci-pererĂȘ, daqui Odara,a capivara e no escuro delira o curupira e do alĂ©m vem alguĂ©m que pula, Ă© a mula sem cabeça...
na terra do candomblé, sob teto de Oxum e Olorum, viva Cologé, Odara, Amém, Mobatalå...
É o sĂ©culo vinte e um, MobatalĂĄ, todo o ouro de Oxum, MobatalĂĄ, Ă© o sĂ©culo vinte e um, MobatalĂĄ, Odara, Odara...

Compositor: Jorge Mauter - Toni - Da Gama - Bino - LazĂŁo

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta mĂșsica

Ouça estaçÔes relacionadas a Cidade Negra no Vagalume.FM

ÚLTIMAS

MIX DE MÚSICAS

ARTISTAS RELACIONADOS