Gineteando

Chiquito e Bordoneio


Alço a perna e salto em cima
no potro ali palanqueado
prendendo a crina entre os dedos
eu me ponho enforquilhado
e no primeiro corcovio,ja bem firme sobre o lombo
cravo-lhe forte as esporas,não costumo levar tombo

risco desde as paletas correndo ate a virilha
mostro a força do meu braço
sou eu quem lhe dou a trilha
esqueço um pouco do mundo
ao menos naquele instante
e vejo as coisas girando ao descermos do lançante.
e vejo as coisas girando ao descermos do lançante.

e vamos nessa peleia,potro homem,homem potro.
corcoveando campo a fora,um querendo vencer o outro.
e vamos nessa peleia,potro homem,homem potro.
corcoveando campo a fora,um querendo vencer o outro.

com o mango surrulho o queixo
pra não ficar retovado
e deixo pegar galope
pois sinto que está domado
agora é botar aperos
e encilhar esse potro
amanhã será outro dia
já está me esperando o outro.

não tenho medo da morte,pois essa não tem maneia
mas vou lhe sentar esporas
pra ver se ela corcoveia
meu pala soprando ao vento
e o campo vai se alongando
no rumo do infinito quero seguir ginetenado.
no rumo do infinito quero seguir ginetenado.

e vamos nessa peleia,potro homem,homem potro.
corcoveando campo a fora,um querendo vencer o outro.
e vamos nessa peleia,potro homem,homem potro.
corcoveando campo a fora,um querendo vencer o outro.

Compositor: Nelcy Vargas/sérgio Tarouco

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta música

Ouça estações relacionadas a Chiquito e Bordoneio no Vagalume.FM

MIX DE MÚSICAS

ARTISTAS RELACIONADOS