Fatalidade

Chico Rey e Paraná

Recordações Vol.10


Ao voltar do ganha-pão,
Para o lar que fui amado,
Estressado vime então,
Vendo o lar abandonado.

No seu berço o meu filhinho,
Embuçados os olhos seus,
E sobre o berço num cantinho,
Uma carta e um adeus.

Me passaram pela mente,
Mil idéias de vingança,
Quis partir, mas de repente,
Ouvi um grito de criança.

Era meu filho que chorava,
Como um cão que perde o dono,
E com os bracinhos implorava,
Que o ninasse para o sono.

Isso foi a vinte anos,
Nunca mais pensei sofrer,
Hoje novos desenganos,
Eu posso descrever.

Fui num baile apresentado,
A um rostinho encantador,
Que me disse meu amado,
É teu filho, meu senhor.

Foi pedir em casamento,
Pro meu filho, meu João,
E ao voltar por um momento,
Tinha amor no coração.

Nada pude lhe dizer,
Mas meu filho adivinhou,
Que acabava de perder,
A mulher que tanto amou.

Quis meu filho a seguir,
Conforma-la para mim,
Que comigo não podia,
E minha vida terá fim.

Lá se foi e só voltou,
Com a jovem pela mão,
De joelhos implorou,
Que lhe desse meu perdão.

E dalí partir queria,
Caso eu lhe permitisse,
A vizinha Pretoria,
Quando alí então lhe disse,
Essa jovem que te engala,
Tão formosa e tão moça,
Tu não podes desposa-la,
Porque ela é tua irmã....

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta música

Ouça estações relacionadas a Chico Rey e Paraná no Vagalume.FM

MIX DE MÚSICAS

ARTISTAS RELACIONADOS