Éramos Um e Outro

Célio Azevedo


Há um grande vazio em minha alma
Desde quando a conheci
O amor não deve existir nessa noite

Éramos um e outro
Quando vendi a minha alma?

Sem medos, sem sentimentos densos, sem preconceitos
Ainda respiro, apesar de não ter o que quero

Há um momento de alívio
Mas quando penso em como seria

Éramos um e outro

Derrubei impérios e crianças
Destruí ideologias, mas
Não posso me abrir com você, ainda

Éramos um e outro
Quando traí e fui traído
Quando não confiei em você

Éramos um e outro

Quando liguei todos os caminhos a um só
Quando caí do laço que me prendia ao ar
Éramos um e outro

Entre mortes e delírios
Decidi que não posso me abrir com você
Ainda

Letra enviada por

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta música

Ouça estações relacionadas a Célio Azevedo no Vagalume.FM

MIX DE MÚSICAS