Página inicial > Hip Hop > B > Bleck a Bamba

MIX DE MÚSICAS

Um pouco da História:
Banda formada em 2009 pelos músicos Adriano Carvalho (Xupeta), André Franchi (Tripa), Will Euzébio e o rapper Nego Marx, no interior de São Paulo (Piracicaba, Santa Bárbara D'Oeste e Campinas).
A proposta do projeto desde sua idealização era trabalhar com músicas e composições próprias, se desprendendo de rótulos e somando as diferentes influências de cada integrante, que tinham em comum o gosto por estilos que variam do rock até a música
negra, como Tim Maia, Gerson King Combo, Sandra de Sá, até Pedro Luiz e a Parede, Planet Hemp, Sabotage e Nação Zumbi.
Em 2011, tocaram ao lado de artistas consagrados como Otto e Pitty, na Virada Cultural do Estado de São Paulo, para um público de aproximadamente 20.000 pessoas, além de apresentações em festivais como o Festival Ufscar De Música (Sorocaba), dividindo o palco com o rapper Emicida.
De 2012 a 2014 passam por reformulação, focando nas composições do primeiro álbum para entrar em estúdio em 2014, com a formação oficial, e adotando o nome Bleck A Bamba. Nessa nova fase, já abriram shows de importantes nomes da nova música brasileira, como Curumin e o rapper Rael.
Classificou suas músicas e se apresentou em grandes festivais nacionais da cena independente como o Fun Music 2015 e faturando a 2º colocação com a música "Brasil" no Festival de Rock de Indaiatuba. Teve também uma de suas músicas convidada a fazer
parte da coletânea "On The Dirty Road" da Crasso Records e Bandtripper. Conquistando seu espaço no interior paulista, passou por várias cidades, dentre elas Piracicaba (Festival Pamonha Groove e Tattoo Rock Fest), Americana, Nova Odessa, Santa Bárbara d'Oeste,
Limeira, Indaiatuba, Ribeirão Preto, e também pela capital São Paulo.
O disco da banda (lançado em 2015) foi gravado de forma independente no estúdio Cambuci Roots, em São Paulo, com a produção musical realizada pelo produtor João Vasconcelos (ex-guitarrista da banda Los Porongas, do Acre). Participaram da gravação os artistas Buia Kalunga (Ba-Boom), o rapper Dom Magrones, o baterista Vandinho Carvalho, além de outros instrumentistas convidados. Ao contar com um produtor musical com a bagagem como a de João Vasconcelos, a sonoridade da banda cresceu, se tornando mais homogênea e cadenciada, resultando em um álbum que preza pela mistura, ao mesmo tempo em que se mantém coerente, apresentando balanço e swing típicos da música "brasuca", aliados ao rock, reggae e rap.

Assim se apresenta a Bleck A Bamba, com muito "gingado", combinando estilos e valorizando a música brasileira!

Blecks:
Véiu (Henrique Franchi) - Voz, Guitarra e Teclado
Xupeta (Adriano Carvalho) - Voz e Guitarra
Tripa (André Franchi) - Percussão e Coros
Tchelo Casagrande - Pickups e Efeitos
Will Euzébio - Bateria
Nego Marx - Rapper
Lp Caldari - Baixo

Redes sociais