• Vagalume
  • A-Z
  • Estilos
  • Top 100
  • Playlists
  • Rádio
  • Hot Spots
  • Notícias
  • Play
    PLAY

    Aí, aí, aí, é isso aí!
    É a Cpi aí!
    Aí!
    Tira o Pc daí e bota no banquinho!
    Aí!
    Vota em mim, certo?
    Olha mas dizem que o homem só vale o que tem
    Doutor vou lhe provar que eu não valho nada
    Sou um faminto operário do salário mínimo
    Tenho mulher e filho e moro em casa alugada
    É aí que eu lhe pergunto o que seria de mim
    Se não fosse a ajuda da rapaziada
    Aí eu lhe pergunto o que seria de nós
    Se não fosse a ajuda da rapaziada
    Lá na minha bocada ninguém paga pedágio a malandragem é quem paga pra gente passar
    Nossos filhos vão pra escola com todo material
    E o sangue bom compra que dá pra criançada
    É aí que eu lhe pergunto o que seria de mim
    Se não fosse a ajuda da rapaziada
    Aí eu lhe pergunto o que seria de nós
    Se não fosse a ajuda da rapaziada
    É o candidato caô só visita o morro
    Quando é tempo de eleições
    Chega dando beijos e abraços
    Tapinha nas costas e aperto de mão
    Depois que se elege emprega seus parentes
    Pelo pobre favelado ele não faz nada
    É aí que eu lhe pergunto o que seria de mim
    Se não fosse a ajuda da rapaziada
    Aí eu lhe pergunto o que seria de nós
    Se não fosse a ajuda da rapaziada
    Olha mas dizem que o homem só vale o que tem
    Doutor vou lhe provar que eu não valho nada
    Sou um faminto operário de salário mínimo
    Tenho mulher e filho e moro em casa alugada
    É aí que eu me pergunto o que seria de mim
    Se não fosse a ajuda da rapaziada
    Aí eu lhe pergunto o que seria de nós
    Se não fosse a ajuda da rapaziada
    Lá na minha bocada ninguém paga pedágio a malandragem
    É quem paga pra gente passar
    Nossos filhos vão pra escola com todo material
    E o sangue bom compra que dá pra criançada
    É aí que eu lhe pergunto o que seria de mim
    Se não fosse a ajuda da rapaziada
    Aí eu lhe pergunto o que seria de nós
    Se não fosse a ajuda da rapaziada
    O candidato caô só visita o morro
    Quando é tempo de eleição
    Chega dando beijos e abraços
    Tapinha nas costas e aperto de mão
    Depois que se elege emprega seus parentes
    E pelo pobre favelado ele não faz nada
    É aí que eu lhe pergunto o que seria de mim
    Se não fosse a ajuda da rapaziada
    É doutor to perguntando o que seria de nós
    Se não fosse a ajuda da rapaziada
    Sabe estou lhe perguntando o que seria de mim
    Se não fosse a ajuda da rapaziada
    Ih de mim!
    Se não fosse a ajuda da rapaziada
    É to-pa-que-com-que-mim
    Se não fosse a ajuda da rapaziada
    São Bento!
    Olha aí to perguntando o que seria de nós
    Se não fosse a ajuda da rapaziada

    Letra enviada por Ricardo Alves Cabral
    Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção »

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Bezerra da Silva

    Publicidade
    Notícias
    Mais notícias »
    Hot Spot
    Top Músicas do Vagalume
    Top 100 »

    As informações deste site são postadas integralmente pelos usuários. É importante dizer que é possível que os dados estejam desatualizados ou incorretos, sendo assim, o Vagalume exime-se de qualquer responsabilidade sobre as informações publicadas.Caso haja interesse em remover ou alterar alguma informação, entre em contato conosco.


    É permitida somente a visualização no site das letras de músicas encontradas aqui, vedada sua reprodução através de quaisquer outros meios (Lei 9610/98).Todas as letras de músicas são propriedade dos seus respectivos autores e divulgadas somente para fins educacionais.All lyrics are property and copyright of their owners. All lyrics are provided for educational purposes only.