• Vagalume
  • A-Z
  • Estilos
  • Top 100
  • Playlists
  • Rádio
  • Hot Spots
  • Notícias
  • Play
    PLAY

    Oh meu Senhor
    Juiz de toda a humanidade
    Vou dizer a verdade
    Eu sei que a maldade não foi o senhor quem plantou
    O senhor quem plantou
    Vivemos nos pés desta elite selvagem e maldita
    Onde só tem parasitas
    Sugando o sangue do trabalhador
    A injustiça impera na face da terra
    A miséria sempre gera guerra
    Por isso existem
    Os conflitos sociais
    E as nossas crianças nas ruas estão desamparadas
    E as doenças espalhadas nas celas molhadas
    E os detentos jogado feito uns animais
    Oh meu Senhor
    Oh meu Senhor
    Juiz de toda a humanidade
    Vou dizer a verdade
    Certo!
    Eu sei que a maldade não foi o senhor quem plantou
    O Senhor quem plantou
    Vivemos nos pés desta elite selvagem e maldita
    Onde só tem parasitas
    Sugando o sangue do trabalhador
    Ih!
    É uma vergonha o salário do aposentado
    Que trabalhou e pagou pra viver descansado
    E pra não morrer de fome
    Ainda tem que correr atrás
    Até a própria natureza eles estão acabando
    Poluindo o ar
    E as matas queimando e tirando do índio o pouco que restou
    Sim mas oh meu Senhor
    As coisas na terra estão mal divididas
    O pobre levando uma vida bandida
    Nem comendo mais o pão que o diabo amassou
    Oh meu Senhor
    As coisas na terra estão mal divididas
    O pobre levando uma vida bandida
    Nem comendo mais o pão que o diabo amassou
    Oh meu Senhor
    Oh meu Senhor
    Ih!
    Juiz de toda a humanidade
    Vou dizer a verdade
    Certo!
    Eu sei que a maldade não foi o senhor quem plantou
    O senhor quem plantou
    Vivemos nos pés desta elite selvagem e maldita
    Onde só tem parasitas
    Sugando o sangue do trabalhador
    Ih!
    A injustiça impera na face da terra
    A miséria sempre gera guerra
    Por isso existem
    Os conflitos sociais
    E as nossas crianças nas ruas estão desamparadas
    E as doenças espalhadas nas celas molhadas
    E os detentos jogados feito uns animais
    Oh meu Senhor
    Oh meu Senhor
    Juiz de toda a humanidade
    Vou dizer a verdade
    Certo!
    Eu sei que a maldade não foi o senhor quem plantou
    O Senhor quem plantou
    Vivemos nos pés desta elite selvagem e maldita
    Erradíssimo, erradíssimo!
    Onde só tem parasitas
    Sugando o sangue do trabalhador
    Ih!
    Oh meu Senhor
    Juiz de toda a humanidade
    Vou dizer a verdade
    Eu sei que a maldade não foi o senhor quem plantou
    O Senhor quem plantou
    Vivemos nos pés desta elite selvagem e maldita
    São Bento!
    Onde só tem parasitas
    Sugando o sangue do trabalhador
    Erradíssimo!
    Oh meu Senhor
    Juiz de toda a humanidade
    Vou dizer a verdade
    Ih!
    Eu sei que a maldade não foi o senhor quem plantou
    O Senhor quem plantou
    Vivemos nos pés desta elite selvagem e maldita
    Onde só tem parasitas
    Sugando o sangue do trabalhador

    Letra enviada por Ricardo Alves Cabral
    Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção »

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Bezerra da Silva

    Publicidade
    Notícias
    Mais notícias »
    Hot Spot
    Top Músicas do Vagalume
    Top 100 »

    As informações deste site são postadas integralmente pelos usuários. É importante dizer que é possível que os dados estejam desatualizados ou incorretos, sendo assim, o Vagalume exime-se de qualquer responsabilidade sobre as informações publicadas.Caso haja interesse em remover ou alterar alguma informação, entre em contato conosco.


    É permitida somente a visualização no site das letras de músicas encontradas aqui, vedada sua reprodução através de quaisquer outros meios (Lei 9610/98).Todas as letras de músicas são propriedade dos seus respectivos autores e divulgadas somente para fins educacionais.All lyrics are property and copyright of their owners. All lyrics are provided for educational purposes only.