Página inicial > Sertanejo > B > Belmonte e Amaraí > A Volta do Caminhoneiro

A Volta do Caminhoneiro

Belmonte e Amaraí


Esta noite estou voltando
Meu trucão está rodando
Parecendo adivinhar
Piso no acelerador
Dou mais força a seu motor
Ansioso pra chegar

Quando for de madrugada
Na derradeira parada vou
Descer bem devagar
Quero entrar bem de mansinho
Ver o seu vulto sozinho
Lá na sala a me esperar

Num abraço de saudade
De ternura e ansiedade
O seu pranto vai rolar
Sem perder nem um segundo
Faço de você meu mundo
Que vontade de lhe amar

Como se fosse a última vez
Como se fosse a primeira vez
Como se fosse a última vez
Como se fosse a primeira vez

Nas estradas que percorro
De saudade quase morro
Você vai no coração
Sua ausência não tem jeito
É a carga aqui no peito
Pesa mais que o caminhão

Mas agora seu abraço
Me compensa do cansaço
De tanta poeira e chão
Pois você é o fim da estrada
É o meu ponto de chegada
Meu abrigo, meu perdão

Num abraço de saudade
De ternura e ansiedade
O seu pranto vai rolar
Sem perder nem um segundo
Faço de você meu mundo
Que vontade de lhe amar

Como se fosse a última vez
Como se fosse a primeira vez
Como se fosse a última vez
Como se fosse a primeira vez
Como se fosse a última vez
Como se fosse a primeira vez

(Pedro Paulo Mariano - Santa Maria da Serra-SP)

Compositor: Adir Paiva

Letra enviada por

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta música

Ouça estações relacionadas a Belmonte e Amaraí no Vagalume.FM

MIX DE MÚSICAS

ARTISTAS RELACIONADOS