O Meu Fado

Beatriz da Conceição


Mas porquê se eu ser assim
Porque trago dentro em mim
Tanta morte e tanta vida
Esta fogueira inconstante
Ora chama crepitante
Ora cinza arrefecida

Quase sempre esta descrença
Este estado de indiferença
Pela verdade ultrajada
E de repente, esta fé
Esta ãnsia de pôr de pé
Cada ilusão derrubada

Quase sempre a cobardia
Com que enterro dia a dia
Meus velhos sonhos perdidos
E logo a fúria incontida
Com que esbofeteio a vida
Quando ela humilha os vencidos

Ai quem me dera ter paz
Quem me dera ser capaz
De vos negar minha mão
Atraiçoar um amigo
Libertar-me do castigo
De te sentir meu irmão

Compositor: Moreira da Cruz / José António Sabrosa

Letra enviada por Mário Rodrigues

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta música

Ouça estações relacionadas a Beatriz da Conceição no Vagalume.FM

MIX DE MÚSICAS