Carne dos Meus Versos

As Bahias e a Cozinha Mineira

Tarântula


Quando eu nasci
Ninguém disse nada
Tomei muitas palmadas
E vi algumas mentiras
Um anjo torto até me esnobava
Atravessava a calçada
Pedia a mão
Me cuspia

E eu só estava querendo me apaixonar
Fiquei rebelde com causa
Pisei no chão como mártir
E comecei a gritar
Multidões de gargalhadas
Enfrentei uma corrente de raiva
Desnudei minhas canções com a carne dos meus versos
E beijei todas as bocas e mãos que pensaram um dia me abandonar

Quando eu nasci
Ninguém disse nada
Tomei muitas palmadas
E vi algumas mentiras
Um anjo torto até me esnobava
Atravessava a calçada
Pedia a mão
Me cuspia

E eu só estava querendo me apaixonar
Fiquei rebelde com causa
Pisei no chão como martir
E comecei a gritar
Multidões de gargalhadas
Enfrentei uma corrente de raiva
Desnudei minhas canções com a carne dos meus versos
E beijei todas as bocas e mãos que pensaram um dia me abandonar

Letra enviada por

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta música

Ouça estações relacionadas a As Bahias e a Cozinha Mineira no Vagalume.FM

ÚLTIMAS

ESTAÇÕES