As Minhas Horas

Argentina Santos


São assim as minhas horas
Sem promessas, sem demoras
Sem mentira, sem verdade
Horas mortas e paradas
Silêncio de madrugadas
Em dia de tempestade

Palavras que murmurei
Padres-nossos que rezei
Apenas por tradição
Alegrias e prazer
Passaram sem eu saber
Por entre os dedos da mão

Sou pedra de campa rasa
Pobre cinza duma brasa
Não sinto calor ou frio
Um perfume sem incenso
Foram-se os anos e penso
Que tenho o corpo vazio

Compositor: Maria Manuel Cid e Joaquim Campos (Fado Vitória)

Letra enviada por Mário Rodrigues

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta música

Ouça estações relacionadas a Argentina Santos no Vagalume.FM

MIX DE MÚSICAS

ARTISTAS RELACIONADOS