Página inicial > Indie > A > Apanhador Só > Metropolitano

Metropolitano

Apanhador Só

Meio que Tudo é Um


Bufa, pisca, venta, gela, grita e some
Reclama pelos canos
Leva todo mundo
Metropolitano
O arrasto enosa uma senhora
Que já não tem pressa
Perde o seu lugar

Se gasta numa quina a idosa
Espera a sua vez e, como ela
O espaço é breve, o brete é curto
Correria, cotovelos, galerias
Que transbordam bípedes

Tiro pro alto, maratona, mãos ao alto
Me enfio no rolo e me safo
Quem sabe amanhã
Me pegam de arrasto e numa cilada
Me apertam na ponta da faca
No vagão do fundo
Vai tá todo mundo
Ataco a porta e travo
A ideia é simples: escapar dessa fria
De qualquer forma a gente fica pra trás
Ultrapassa e volta pro mesmo lugar

Grita, gela, venta, freia, pisca e bufa
Faixa amarela pra consolação
Um monte de gente
Amontoadalata
Um monte de gente
Amotinada em si

Artéria pulsante, na fila, engrossa
Sem conexão com a liberdade
Furam, encoxam e ninguém olha pro lado
E se um deixar pro outro sem sobrar nenhum
Entre o paraíso e a barafunda?

Próxima estação: belém
Desembarque pelo lado esquerdo de que vem

Compositor: Felipe Zancanaro, Thiago Sebben, Marcelo Mendes, Alexandre Kumpinski, Diego Poloni, Fernão

Letra enviada por Robson Avila

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta música

Ouça estações relacionadas a Apanhador Só no Vagalume.FM

ÚLTIMAS

MIX DE MÚSICAS

ARTISTAS RELACIONADOS