Frestas

Angela Brandão


Aos poucos
O dia vence a persiana
A luz derrama no colchão
Filetes feitos à navalha
Cortantes como a solidão
Em vão,
Eu tento então cobrir as frestas
Fingir que o tempo adoeceu
E a única opção que resta
É esse breu só meu e teu
É esse breu
Onde eu entrego
Instantes órfãos de futuro
Turva imagem em que eu misturo
O que eu sou e o que eu queria ser
Onde ninguém,
Ninguém precisa escolher
E a pressa perde as esporas
Enquanto a culpa mingua do lado de fora

Mas não
Parece até que o dia faz questão
De entrar no quarto como um ladrão

Pra cometer o ato desumano:

Fazer com que pareça que é loucura
Tentar abandonar a armadura

Que apelidamos de cotidiano



Postado por: Thiago Brandão

Compositor: Angela Brandão / André De Moraes

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta música

Ouça estações relacionadas a Angela Brandão no Vagalume.FM

MIX DE MÚSICAS

ARTISTAS RELACIONADOS