Página inicial > Gospel/Religioso > A > André Valadão > Espontâneo Abraça-me

Espontâneo Abraça-me

André Valadão


Ou, vem senhor curar
Vem senhor ungir, tocar, tocar, tocar, tocar
Aonde ninguém vê
Toca com tuas mãos senhor
A dor que ninguém conhece

Tu és o médico dos médicos
Oh! oh!

Jesus, ele conta uma história
De um homem
Que tinha dois filhos
Um desses filhos um dia
Ele chegou pro pai e disse

Pai, eu quero a minha parte
Quero conhecer o mundo
E sair por aí
Oh, eu quero sair de casa
Dá-me o que é meu por direito
Deixa-me ir

E o pai, respeitando o filho
Deu a sua parte da herança
E a palavra diz que ele saiu

Despendido tudo
Se perdendo em meio ao mundo
Em meio às festas
Se distanciando da casa do pai
Cada vez mais longe

Eu imagino aquele pai todos os dias
Indo ali pra aquela varanda, eu não sei
Abrindo a janela
Mas com saudade e com esperança daquele filho voltar

E o filho foi, gastou tudo
E os seus amigos, entre aspas, que diziam ser amigos
A medida que o dinheiro foi acabando
Eles foram se afastando, se distanciando
E aquele jovem se viu sozinho no meio do mundo
Sem dinheiro, sem amigos, sem a família
Mas o pai
O pai estava a esperar por ele
O pai espera por você
O deus espera para abraçar você
E a bíblia diz que aquele jovem
Foi trabalhar cuidando de porcos
Alimentar porcos
E a bíblia diz que ele chegou a desejar
A própria comida dos porcos
E então veio uma lembrança e ele disse
Não, meu pai é um bom empregador
E o mínimo que eu vou ter com o meu pai vai ser
Uma, uma comida melhor para comer
E a esperança brotou
E aquele jovem voltou, olhou pra trás e disse
Eu vou voltar pra casa do meu pai
Mesmo que ele diga
Mesmo que eu não seja digno
Mesmo que ele não me chame mais de filho eu volto
Mesmo que ele não me veja mais como
Am filho amado eu volto
Mas o olhar de deus por nós é o mesmo
O amor de deus por nós não muda
Mesmo tão, tão distante, tão longe

Deus te chama pra perto

E aquele jovem voltou
Ele voltou pros braços do pai
E a palavra diz que o pai, quando avistou
O filho na beira daquele caminho vindo a distância
Ele corre, ele corre, ele corre até encontrar
Esse filho e o filho chega com um discurso pronto e diz
Pai, eu não sou digno de ser chamado seu filho
Talvez você essa noite pensa eu já pequei
Eu já errei tanto, deus não pode levantar
meu ministério mais, deus não pode levantar
minha família, deus não pode curar a minha vida
mais eu digo pra você
O pai quer te abraçar
Eu imagino aquele abraço apertado
caloroso de um pai pro seu filho e disse
filho, filho, você ''tava'' morto, você ''tava''
perdido, mas hoje eu te achei
Vem nos encontrar senhor nas estradas perdidas da vida
Vem encontrar no meio dessa multidão senhor
Aquele que estiver perdido, com medo
Aquele que distanciou e se afastou dos seus caminhos
senhor
Vem abraçar com teu amor

Abraça-me, abraça-me
Cura-me, cura-me
Unge-me, unge-me
Toca-me, toca-me

Volta pros braços do pai

Abraça-me, abraça-me
Cura-me, cura-me
Unge-me, unge-me
Toca-me

By: tatá costa

Letra enviada por

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta música

Ouça estações relacionadas a André Valadão no Vagalume.FM

ÚLTIMAS

MIX DE MÚSICAS

ARTISTAS RELACIONADOS