Página inicial > Romântico > A > André e Andrade > Passado de Um Boiadeiro

Passado de Um Boiadeiro

André e Andrade


É bem triste o meu passado, senhores preste atenção
Meu pai foi um boiadeiro que cortava o estradão
Amontado em seu bragato com seu berrante na mão
Na garupa o seu laço que era de estimação
Ele morreu em sua lida, na fazenda do grotão
Pra mim ficou a saudade, oiiilaráiii, a tristeza e a paixão... aiii
Fiquei com quatorze anos nessa mesma profissão
Lutando com os pantaneiros que era minha inclinação
Minha mãe assim falou... Guarde por recordação
Esse laço é uma defesa para a sua proteção
Receba como Herança, o berrante e o gibão e ao lembrar do
seu papai, oiiilaráiii, faça a sua oração... aiii
Fui buscar uma boiada na fazenda lagoão
Saí de madrugadinha pra saltar o Rio Maranhão
Só via chuva e vento cortando aquele sertão
Minha boiada estourou na serra do gavião
Nessa hora o meu pai, chegou ali na ocasião
Meu filho siga viagem, oiiilaráiii, com seu berrante na mão... aiii
O gado me acompanhou dentro da escuridão
Cheguei na beira do rio foi triste a situação
Minha mãe ia rodando nas águas do Maranhão
Joguei meu laço por cima alcançou a sua mão
Tirei ela no barranco e pedi sua benção
Nessa hora meu berrante, oiiilaráiii, repicou na solidão... aiii

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta música

Ouça estações relacionadas a André e Andrade no Vagalume.FM

MIX DE MÚSICAS

ARTISTAS RELACIONADOS