Página inicial > Romântico > A > André e Andrade > Boiadeiro Galante

Boiadeiro Galante

André e Andrade


Num salão enfeitado por festa
Alegria é a sua mana
Eu entrei pra matar minha fossa
Encontrei a cabocla diana

Boiadeira no norte goiano
Em beleza é uma soberana
Eu olhei nos teus olhos morteiros
No momento eu fiquei cabreiro
Mas não minto, gostei da goiana

A morena me falou sorrindo
Sei que a sorte da gente não falha
O meu pai tem quarenta fazendas
Lá nas margens do rio araguaia

Mas eu gosto é de lidar com gado
Meu destino não me atrapaia
Te garanto que é pago dobrado
Um peão que for bem mandado
Que no nosso roçado trabaia

Eu também por ser boiadeiro
E não deixo a peteca ir ao chão
Respondi, sou do sul de goiás
Sou o rei do café e algodão

Também tenho quinhentas jamantas
Conduzindo bois no sertão
Em riqueza eu vivo contente
Com firmeza se for de presente
Eu aceito é o seu coração

Fui abrindo a porta do carro
Lhe mostrei falando arrogante
É de prata e ouro maciço
Veja bem meu manhoso berrante

A morena retrucou baixinho
Com palavras bem murmurantes
Quero agora um anel de noivado
Para breve nós sermos casados
Me perdoe, boiadeiro galante

Letra enviada por Pedro Paulo Mariano

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta música

Ouça estações relacionadas a André e Andrade no Vagalume.FM

MIX DE MÚSICAS

ARTISTAS RELACIONADOS