Oriente

Aline Frazão


Participação especial: Rúben da Luz (trombone)

A oriente sábia gente diz que é circular
O nosso caminhar a cada dia
O trajecto da estrela guia
Morre e nasce outra vez
Se repete outra vez
Morre e nasce outra vez

Na minha mente o presente é mostra singular
Pegada vaga do que foi
Quando a areia desse tempo vão
Era ainda um castelo e não
Relógio partido no chão

Girou mais um dia, mais um ano
E meço a passos o equador
Buscando o teu meridiano
Pra me encontrar no teu país
Improvável sina de cigano
Que roda buscando a raiz
A casa, o chão, o tecto, o espelho
O amigo e o umbigo
A origem dessa linha
Fronteira tão sozinha
Distância absurda
Solidão sem fim
Solidão sem ti, sem mim

Olho-te sempre quando quero me orientar
E cada noite se faz dia em ti
No mesmo lugar
Quem dera um dia eu pudesse
Quem dera eu
A oriente despertar depois do breu
Quem dera eu
No revés do tempo e do céu

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta música

Ouça estações relacionadas a Aline Frazão no Vagalume.FM

MIX DE MÚSICAS