Dia Ruim

Alexandre Z


Tudo começou bem na minha infância
Minha escola onde eu nunca queria estar
Tinha muito amigos que nem sabiam meu nome
Mais pra quem eu já estava acostumado a apanhar

E eu que até ali sempre ri junto
Aos idiotas pra me enturmar
Mais tarde eu cresci e vi um mundo diferente
Atrás de um balcão sempre disposto a ajudar

Era o emprego perfeito
Pra quem não tinha sonhos
Nem vontade de sair do lugar
E eu que até ali só esperava quando tudo ia acabar

Ai já com uns trinta
Conheci uma garota
Que com certeza fez
A minha vida mudar

Casamos e tivemos três filhos
De cores diferentes
Mas ela sempre soube me explicar
E eu que até ali a felicidade eu só ouvi falar

Depois de certo tempo
Com meus filhos já crescidos
Alguma coisa ainda não estava no lugar
Não tinha nenhum plano pro resto da minha vida

O herói dos meus filhos
Era o sorveteiro da rua
Mas isso era coisa de criança
E eu só deixei pra lá

Com uns sessenta e cinco
Não muito bem de saúde
A minha mulher resolveu me abandonar
Levou os meus três filhos
Meu dinheiro e o sorveteiro

Ninguém nunca mais
Deles todos ouviu falar
Aí que eu pensei
O inferno já não é um mal lugar

Mais dois anos na cama de hospital
A comida era fria
E não tinha ninguém pra esquentar
Me atendia uma enfermeira gorda

Até tinham umas gostosas
Mas essas não ficavam no meu andar
Aí que eu falei doutor
Aqui já não da mais pra eu ficar

Ele virou as costas me mandou a merda
Falou para de resmungar
Mas a máquina que me mantinha vivo
Não tinha ninguém pra desligar

Letra enviada por

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta música

Ouça estações relacionadas a Alexandre Z no Vagalume.FM

MIX DE MÚSICAS