Novo Rumo

Àlex Coelho

Novo Rumo


Cidade louca, correria, carros que vem e vão
Mesmice, rotina, assassina minha emoção
Aonde estou, como estou
São perguntas a fazer
Do por que, de entender
Quem muito enxerga pouco vê

Mente vazia, poesia totalmente algemada
Liberdade é sem preço
Almas que foram roubadas
Sou mais um
Tripulante que vem junto com a maré
Que essas ondas me levem
Para onde Deus quiser

Eu assumo uma nova rota
Em meio aos meus conflitos
Quem sou, como sou
Meu coração em Jesus cristo
Pássaros que voam de norte a sul
De leste a oeste
Sou mais um, não comum
Pelo amor, só não me esquece

Vagando por aí procurando paz
Buscando um novo rumo que faça sentido
Sem me esquecer
Das coisas que deixei pra traz
Procuro me encontrar pois já fui esquecido

Me tornei, sorri sou rei
Quem diria me encontrei
Tanto andei, triste vaguei
Em fim olha eu não sei
Eu me vejo no final
De uma velha, velha história
Mas aonde está o começo?
Trilha nova trajetória
Não por flash, não por fama
Não por grana ou talento
Eu vivo um sonho
E me alimento apenas de belos momentos
Quantos dizem, somos nós
"mlks" "mlks" atrás de aventura?

São histórias que ficam
Eu eternizo as escrituras!
E eu me lembro das palavras
Do meu pai, hoje aqui
Quem diria? vejam só, valiam muito para mim
Sou "moleque" às vezes problema
Mas com sonhos de um herói
Eu quero virar, quero vingar
Um dia na radio vão ouvir minha voz!

Vagando por aí procurando paz
Buscando um novo rumo que faça sentido
Sem me esquecer das coisas
Que deixei pra traz
Procuro me encontrar pois já fui esquecido
Mas guardei, os ensinamentos dos meus pais
Meu filho siga em frente, sem pecar jamais

Eu costumava andar drogado pela rua
Bebia o tempo todo
Sobre o sol ou sobre a lua
Minha mãe queria mano
Que eu parasse um pouco em casa
Ela chegava da igreja
E eu partia pra noitada

Orlof, coca cola
Com o pouco perdi a vergonha
Pra ficar mais mais maneiro
Um cigarro de maconha
Loucura alucinada, sem juízo ou razão
Nesse meu riso passageiro
Passageira agitação

Eu tinha uma alegria
Que não era verdadeira
Ia perdendo a brisa eterna
Pela brisa passageira
Chegando em casa fedendo cachaça
Fedendo cigarro, jogado no chão
Minha mãe, não crendo, chorando
Pegando minha blusa
No seu desespero, faz sua oração

Vagando por aí procurando paz
Buscando um novo rumo que faça sentido
Sem me esquecer das coisas
Que deixei pra traz
Procuro me encontrar pois já fui esquecido
Mas guardei, os ensinamentos dos meus pais
Meu filho siga em frente, sem pecar jamais

Compositor: Àlex Coelho, Geosen Merces

Letra enviada por

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta música

Ouça estações relacionadas a Àlex Coelho no Vagalume.FM

MIX DE MÚSICAS