PĂĄgina inicial > Fado > A > Aldina Duarte > Branca,branca

Branca,branca

Aldina Duarte


À deriva pela estrada
Muito branca e embalada
Na cadĂȘncia dos seus passos
Vai uma sombra cansada
TĂŁo branca, sem dizer nada
Com um fantasma nos braços

Cheia de medo e de frio
Entrou no salĂŁo vazio
Do palĂĄcio abandonado
O grande tecto ruiu
O candelabro caiu
Em chamas, o cortinado

No palĂĄcio destruĂ­do
Ficou, no vitral partido
Uma sombra a ver-se ao espelho
E no chĂŁo enegrecido
Um fantasma adormecido
Sobre o tapete vermelho

Da terra, em volta, queimada
Nasce uma rosa encarnada
Que ao passar, o vento arranca
Pelo vento desfolhada
Desfaz-se, branca, na estrada
Branca, branca, ah! TĂŁo branca.

Compositor: Manuela de Freitas e Alfredo Marceneiro (Fado Cravo)

Letra enviada por

Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção >

Compartilhe
esta mĂșsica

Ouça estaçÔes relacionadas a Aldina Duarte no Vagalume.FM

MIX DE MÚSICAS

ARTISTAS RELACIONADOS