• Vagalume
  • A-Z
  • Estilos
  • Top 100
  • Playlists
  • Rádio
  • Hot Spots
  • Notícias
  • Play
    PLAY

    Amigo, que ironia desta vida
    Você chora na avenida
    Pro meu povo se alegrar
    Eu bato forte em você

    E aqui dentro do peito uma dor
    Me destrói
    Mas você me entende
    E diz que pancada de amor não dói

    Eu bato forte em você
    E aqui dentro do peito uma dor
    Me destrói
    Mas você me entende
    E diz que pancada de amor não dói

    Meu surdo parece absurdo
    Mas você me escuta
    Bem mais que os amigos lá do bar
    Não deixa que a dor
    Mais lhe machuque
    Pois pelo seu batuque
    Eu dou fim ao meu pranto e começo a cantar

    Meu surdo bato forte no seu couro
    Só escuto este teu choro
    Que os aplausos vêm pra consolar

    Amigo, que ironia desta vida
    Você chora na avenida
    Pro meu povo se alegrar
    Eu bato forte em você

    E aqui dentro do peito uma dor
    Me destrói
    Mas você me entende
    E diz que pancada de amor não dói

    Eu bato forte em você
    E aqui dentro do peito uma dor
    Me destrói
    Mas você me entende
    E diz que pancada de amor não dói

    Meu surdo, velho amigo e companheiro
    Da avenida e de terreiro,
    De rodas de samba e de solidão
    Não deixe que eu vencido de cansaço
    Me descuide desse abraço
    E desfaça e compasso do passo do meu coração

    Amigo, que ironia desta vida
    Você chora na avenida
    Pro meu povo se alegrar
    Eu bato forte em você

    E aqui dentro do peito uma dor
    Me destrói
    Mas você me entende
    E diz que pancada de amor não dói

    Eu bato forte em você
    E aqui dentro do peito uma dor
    Me destrói
    Mas você me entende
    E diz que pancada de amor não dói...

    Bem mais que os amigos lá do bar
    Não deixa que a dor
    Mais lhe machuque
    Pois pelo seu batuque
    Eu dou fim ao meu pranto e começo a cantar
    Meu surdo bato forte no seu couro
    Só escuto este teu choro

    Que os aplausos vêm pra consolar
    Meu surdo, velho amigo e companheiro
    Da avenida e de terreiro,
    De rodas de samba e de solidão
    Não deixe que eu vencido de cansaço
    Me descuide desse abraço
    E desfaça e compasso do passo do meu coração

    Encontrou algum erro na letra? Por favor, envie uma correção »

    Comente
    user 300 caracteres restantes. Enviar

    Todas as letras de Alcione

    Publicidade
    Notícias
    Mais notícias »
    Hot Spot
    Top Músicas do Vagalume
    Top 100 »

    As informações deste site são postadas integralmente pelos usuários. É importante dizer que é possível que os dados estejam desatualizados ou incorretos, sendo assim, o Vagalume exime-se de qualquer responsabilidade sobre as informações publicadas.Caso haja interesse em remover ou alterar alguma informação, entre em contato conosco.


    É permitida somente a visualização no site das letras de músicas encontradas aqui, vedada sua reprodução através de quaisquer outros meios (Lei 9610/98).Todas as letras de músicas são propriedade dos seus respectivos autores e divulgadas somente para fins educacionais.All lyrics are property and copyright of their owners. All lyrics are provided for educational purposes only.